Uma espécie em crise pelo ciclo dos giros eternos

Compartilhe a Verdade:


Vivemos, novamente, na era da informação dentre os giros eternos que sempre se repetem – onde, perante uma “realidade digital” rápida como flash, sendo este apenas uma fração momentânea da totalidade da luz – um palco que mostra um show com tramas e propósitos especificamente projetados para nos manter em constante estado de estimulação física e mental – muitas coisas estão sendo mostradas neste paradigma elétrico, tudo o que se pode imaginar está sendo mostrado e oferecido neste meio.

A direção errada

Trancados em nossas realidade holográficas, feitas de cidades, concreto, vidros e ilusões nos tornamos fast food ideológico paradoxalmente descontrolado & controlado e, certamente muito incoerente, vivendo nossas vidas através de facebook, twitter, telefones e ipads. Tendo verdades absolutas em todos os lugares e muitos caciques para poucos índios. Nós trocamos o mundo natural, o reino eterno, que nos mostra muito da verdade em essência por uma cópia digital e dedicamos nossas mentes aprisionadas a números e códigos computadorizados criados pelo próprio homem em seu caminho à luz. Estagnamos temporariamente.

Se quisermos ir para o futuro com quaisquer vestígios de humanidade real deixados em nossos giros conscienciais anteriores… é melhor acordarmos para o nosso Eu Interior e deixarmos a sensação da coerência ditar algumas coisas. Acorde com nossa herança multidimensional atemporal e reconquiste a  nossa mente “eu Serei” do impostor que rege nossas vidas atualmente pela limitada perspectiva … a voz em nossas cabeças que lamenta e mina pela pura lógica condicionada.

Espécie em Crise

Homem, homem orgulhoso, Vestido em uma autoridade pouco breve, 
Mais ignorante no que ele está mais assegurado 
Sua essência vítrea, como um macaco zangado, Joga truques tão fantásticos diante do alto céu 
Como faz os anjos chorarem – William Shakespeare

Afastado da natureza, programado por religiões baseadas no medo e sequestrado pela tecnologia e ciência limitadas propositalmente, a humanidade e seu planeta chegaram a um ponto crítico. Somos uma espécie em crise espiritual real e sensacional. Podemos estagnar com a mente da colmeia racional pura – tornar-mo-nos um clone de matriz repetitiva- ou nos voltarmos para dentro e explorar a realidade infinita plasmada nos reinos eternos conscienciais.

Em uma dualidade, há dois tipos de despertar: físico e espiritual. Lógico e abstrato.

O despertar físico acontece quando percebemos que fomos enganados pelos “escolhidos” que comandam o cenário limitado que nossos olhos vêem – os sistemas; educacional, legal e político tratam de controlar nossas mentes condicionadas, usar nossa energia e pegar nosso dinheiro – e o mercados financeiro nada mais é que apenas um gigantesco esquema ponzi comandado e articulado do topo … e não somos convidados a compartilhar os lucros de maneira justa.

Amizades vão pelo ralo

Na maioria das vezes, neste sistema atual, nossas novas revelações perante a verdade e coerência da simetria e os efeitos de “ficção” que elas causam em quem não a compreende de forma pura, não combinam com nossa família e amigos. E a mente da colmeia é rápida em reagir com negação e raiva quando seu sistema de crença é solapado ou desafiado. Anos de amizade podem rapidamente ir pelo ralo, ficar na sarjeta do passado, os casamentos terminam e as famílias se dividem. Mas é o que é, e quando você sabe a verdade sobre o nosso mundo e muito além do que o rege, não há como voltar atrás a página ou pressionar o botão mental para deletar.

A verdade está aqui para despertar e deixar muitos vivendo em um mundo de sonâmbulos, e até mesmo algumas daquelas pessoas que acordaram para a mentira estagnada da tal realidade concebível, ainda estão consciencialmente adormecidas pela falta de sensibilidade em assimilar o grandioso pacote de informações que o  abstrato (Espirito Santo) nos passa para encaixar todos os pontos chave.

O despertar da consciência/espírito.

O despertar espiritual/consciencial é muito mais complexo do que o despertar físico, porque lida com o lado desconhecido, abstrato e invisível da nossa natureza. E, como todas as culturas quais hoje existem, temos as formas de pensamento espirituais herdadas e os contos de fadas programados em nossa consciência: fantasmas e monstros, bruxas e ghouls e coisas que acontecem durante a noite. Tudo para ser assimilado e sintetizado de forma limitada e teatral, fazendo seu entendimento de raiz ser praticamente nulo. E, acima de tudo, temos a programação religiosa manipulada atualmente perante os aspectos concebíveis de demônios e lagos de enxofre ardente para nos assustar com a submissão mental do tal inferno.

Uma vez, uma padre em uma reserva perguntou a um dos anciãos Lakota se ele sabia sobre o diabo. O velho respondeu. “Diz-me tu. Você o trouxe. – Perspectiva!

Em todas as histórias das fadas dos “velhos tempos” há uma compreensão obscura do que espera além do véu e neste clima de confusão e ódio, e é este clima que veio e é alimentado até hoje pela desinformação e manipulação colossal de nossa percepção. Precisamos prosseguir com cautela na nossa jornada para a realidade da consciência, mas para isso, precisamos nos permitir tentar compreender a grandiosidade que este abstrato tem para nos fazer sentir e não apenas “mostrar” ao que nossos limitados olhos conseguem enxergar.

Discernimento na busca por conexão significativa com  abstrato.

Acordar leva tempo, e em nossa ânsia e anseio por uma conexão mais profunda e significativa com o lado consciencial de nossa vida, aos que se permitem, somos vulneráveis ​​a predadores tanto físicos quanto energéticos perante a manipulação das sensações impostas pelo cotidiano teatro. A internet é um mundo cheio de “magia negra” e agendas coordenadas para tal feito… e a maioria dos locais suaves e chamativos que empurram todas as coisas espirituais e voltadas para a compreensão de algo maior, são armadilhas para os desavisados e desamparados que ainda não tem pacotes de informação suficientes para desdobrar com maestria esta nova etapa perceptiva de 3ª e 4ª dimensão. Nós temos que estar em guarda e não dar nossas mentes para algum cara carismático e cheio de palavras doces apenas em seu castelo  digital que não pratica o que ele de fato prega. Isso está em todos os lugares, desde uma igreja, um centro, ou um formador de opinião popular, conhecido e respeitado do youtube, por exemplo.

Nós fizemos um salto quântico sem saber. É o transbordar natural desercebido

Temos todos os tipos de pessoas em nossas vidas – família e amigos, pessoas com quem trabalhamos, nossos companheiros no bar … mas,  chega um momento em que de repente percebemos o quão superficiais e “desabrangentes” são suas vidas perante suas concepções de realidade … e quão rasas, vazias e regidas pela “morte” nossas vidas foram antes de acordarmos.

Onde costumávamos gostar de estar na multidão, na praia, em festas, ciclos sociais, rodeados de amigos, fazendo as mesmas coisas que todos fazem, agora, depois de vislumbrarmos o corpo da coerência que plasma dos 7 momentos eternos da consciência e seus 5 intervalos, totalizando assim os 12 momentos eternos, descobrimos que temos pouco em comum com o status quo da grande maioria esmagadora que compõe e egregora o “teatro da realidade”.

“Nós” o mundo e a sociedade, nos tornamos retraídos, prezando ao mesmo tempo uma socialização entre massas vazias … presos em nossas mentes condicionadas somente pela lógica sem ninguém para conversar sobre as ‘coisas’ acontecendo em nossas cabeças que sejam realmente elevadoras, mas apenas contrastando sensações de terceira e quarta dimensões sem nenhum guia específico que nos faça compreendermos internamente um ao outro. Isso pode levar à depressão e ao desespero, nos deixando facilmente maleáveis a seguir o que nos é dito como verdade, por exemplo, pela televisão… nos limitando no senso de auto questionamento perante o que está acontecendo e nos deixando falsamente seguros de nossas realidades.

… Mas o que realmente aconteceu é que nossa consciência mudou – expandiu-se graças ao que nossa escola mostra e o verbo profere pela coerência … e as pessoas ao nosso redor ficaram no mesmo lugar. É desesperador queimar no escuro com isso, mas é a única forma que nós, que estamos amparados pela luz, podemos encontrar a força necessária para gradativamente e de maneira equilibrada, iluminarmos o caminho de quem ainda continua dando passos no escuro com a vertigem causada pela falsa luz que estes pensam os iluminar.

Coletivamente digamos que é como se tivéssemos dado um salto quântico consciencial sem o coletivo saber propriamente disso. E de fato não sabem, pois é abstrato. Entretanto, nós, aqui, mesmo que parecendo ser arrogância, o que de fato não é, estamos em um patamar acima, sabendo discernir isso “de cima”, de quinta dimensão, amparados pela verdadeira Luz que rege a cognição e discernimento sobre a totalidade existencial e interpretativa. Ou seja, a capacidade de interpretar o que nossa consciência traduz de dentro para fora. Sabemos que somos simplesmente luz mergulhando no escuro e temos o dever de fazermos este trabalho honrando o criador e seu reflexo vivo que está entre nós mais uma vez e pela dádiva divina qual fomos agraciados, nos permitindo assim, reconhecê-lo pela identidade dele, de Deus, “impressa” em nossas próprias almas.

Reflita e cresça

Cometer erros neste mundo é parte do processo de aprendizagem, de reciclagem da consciência, um erro pode ser um erro, depende penas da sua perspectiva e abrangência – perante uma cadeia de acontecimentos com a qual nossa cognição se depara perante uma sensação- causa e efeito nos trazem por qualquer caminho até o ponto de despertar, que é onde tudo começou uma vez. O ponto zero. Agora … então, de maneira óbvia e cósmica, regidos pelo macro e micro, tanto acima quanto abaixo, não há erro em saber o que nosso destino aguarda quando o deixamos na mão do abstrato, de Deus … no entanto, quem não sabe disso, tenta criar o próprio, ser dono do mesmo e brilhar no lugar do sol. O preço é cobrado destes. Tenha cuidado.

A jornada para a autenticidade

A jornada até a “fonte” é uma viagem à autenticidade com Deus – em um conhecimento nascido da experiência e não em algumas notícias de segunda mão mostrada por falsos gurus e por pesquisas cientificas separadamente, pois tudo está dentro desta magnitude divina abstrata.  – temos que fluir com isso. Nós temos que querer isso, nos permitirmos isso… não de uma maneira indiferente, mas com todo o nosso ser. E, se nós estamos indo pegar o ônibus de luz visível que uma vez perdemos – é melhor estarmos prontos para embarcar.

Ajudem no merch.

Em Deus. Luz pra nós!

Compartilhe a Verdade:


4
Deixe um comentário

Please Login to comment

Entre com:




4 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
Bruno BaulerAdmin bar avatarMiryam Yoshiko Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Miryam Yoshiko

Mestre não pude deixar de ler com sua voz em minha mente!! Logo estarão fazendo paródia, imitando (num bom sentido) sua narração única e de estilo !!
Que síntese mestre!

Luz p’ra nós!

Admin bar avatar
Membro
Richard Maquiavel

Maravilha de Post, Obrigado pelas palavras mestre. Luz pra nós

Membro
Francineide Araujo

Magnífico!!!! Luz p´ra nós!!

Bruno Bauler
Membro
Bruno Bauler

Magnífico texto! De verdade mesmo, não esperava por isso. Irei reler. Incrível, abraço irmão Douglas! Luz!