sex. set 20th, 2019

As parábolas do tesouro escondido e da pérola

parábola tesouro

Compartilhe a Verdade:


Navegando pela internet encontrei um post magnífico, e queria compartilhar com vocês irmãos:

Todo sa­cri­fí­cio em prol da evo­lu­ção e da per­fei­ção es­pi­ri­tual é vá­li­do
“O Rei­no dos Céus é se­me­lhan­te a um te­sou­ro es­con­di­do no cam­po; um ho­mem o acha e es­con­de-o no­va­men­te e, na sua ale­gria, vai, ven­de tu­do o que tem e com­pra es­se cam­po”. (Evan­ge­lho de Ma­teus, cap. 13, v. 44).
“O Rei­no dos Céus é tam­bém se­me­lhan­te a um mer­ca­dor que an­da a pro­cu­ra de bo­as pé­ro­las. Ten­do en­con­tra­do uma pé­ro­la de gran­de va­lor, vai, ven­de tu­do o que pos­sui e a com­pra”. (Evan­ge­lho de Ma­teus, cap. 13, vv. 45 e 46).

As pa­rá­bo­las do te­sou­ro es­con­di­do e da pé­ro­la re­pre­sen­tam uma sín­te­se dos me­ca­nis­mos da evo­lu­ção es­pi­ri­tual. Na pa­rá­bo­la do te­sou­ro es­con­di­do, Je­sus com­pa­ra o Rei­no dos Céus, ou se­ja, o es­plen­dor de uma con­sci­ên­cia mo­ral e to­das as su­as con­se­quên­cias, com um te­sou­ro es­con­di­do no cam­po, o qual sim­bo­li­za a jor­na­da evo­lu­ti­va do es­pí­ri­to. Ine­xo­ra­vel­men­te, o es­pí­ri­to evo­lui, ad­qui­rin­do os atri­bu­tos in­te­lec­tu­ais e mo­ra­is por meio dos pro­ces­sos do au­to­co­nhe­ci­men­to e do tra­ba­lho, sem os qua­is tam­bém não é pos­sí­vel en­con­trar e de­sen­vol­ver es­ses atri­bu­tos. To­dos nós es­ta­mos no cam­po da evo­lu­ção es­pi­ri­tual e não há co­mo sa­ir de­le ou fu­gir de su­as leis. No mun­do da ima­nên­cia, a evo­lu­ção es­pi­ri­tual é a úni­ca fa­ta­li­da­de que exis­te.

A per­fei­ção es­pi­ri­tual, ain­da que re­la­ti­va, é um ver­da­dei­ro te­sou­ro, mas pa­ra en­con­trá-lo tor­na-se fun­da­men­tal uma cons­tan­te bus­ca por meio do au­to­co­nhe­ci­men­to, da aqui­si­ção do co­nhe­ci­men­to e da prá­ti­ca das vir­tu­des. Tam­bém pa­ra ad­qui­rir e man­ter es­se te­sou­ro se­rão ne­ces­sá­rios os mé­ri­tos dos tra­ba­lhos mo­ra­is in­ter­nos e ex­ter­nos ao in­di­ví­duo. Não há co­mo ob­ter es­se te­sou­ro de­so­nes­ta­men­te. Afi­nal, o ho­mem pa­ra com­prar o cam­po on­de en­con­tra­ra o te­sou­ro ne­ces­si­tou de ter bens pa­ra ven­dê-los, ob­ten­do os re­cur­sos pa­ra ad­qui­ri-lo. Ain­da pa­ra tal fi­na­li­da­de, o ho­mem ven­deu to­dos os seus bens por­que per­ce­beu que o te­sou­ro va­le­ria mui­to mais do que qual­quer bem que pos­su­ís­se. O ho­mem que en­con­trou o te­sou­ro tu­do fez com ale­gria e não com pe­sar.

Tam­bém na pa­rá­bo­la da pé­ro­la, Je­sus en­fa­ti­za a re­nún­cia co­mo sen­do a de­sis­tên­cia de al­go que va­le me­nos do que aque­le que se al­me­ja. Es­sa re­nún­cia diz res­pei­to aos va­lo­res mai­o­res sen­do bus­ca­dos em de­tri­men­to dos va­lo­res me­no­res, ou ain­da, bem ma­te­ri­ais sen­do sub­sti­tu­í­dos por bens es­pi­ri­tua­is.

Na pa­rá­bo­la do te­sou­ro es­con­di­do o ho­mem en­con­tra o te­sou­ro, mas Je­sus não afir­ma se foi ao aca­so ou se o ho­mem es­ta­va a pro­cu­rar um te­sou­ro. No en­tan­to, na pa­rá­bo­la da pé­ro­la, Je­sus ex­pli­ca que o mer­ca­dor es­ta­va em bus­ca de bo­as pé­ro­las, o que se sub­ten­de que na pri­mei­ra pa­rá­bo­la o ho­mem de­ve­ria es­tar em bus­ca de um te­sou­ro e o en­con­trou. É o re­sul­ta­do do prin­cí­pio: “Bus­cai e acha­reis”. Em am­bas as pa­rá­bo­las os dois ho­mens ven­dem tu­do o que tem pa­ra ad­qui­rir um bem mais pre­ci­o­so. Is­so de­mons­tra in­te­li­gên­cia, de­sa­pe­go e ca­pa­ci­da­de de atin­gir um ob­je­ti­vo com as vir­tu­des da dis­ci­pli­na, da boa von­ta­de, da per­sis­tên­cia e da ale­gria, con­di­ções pa­ra ven­der ou se des­fa­zer de va­lo­res me­no­res pa­ra aqui­si­ção de va­lo­res mai­o­res.

Ou­tro as­pec­to a ser con­si­de­ra­do é que os dois ho­mens das du­as pa­rá­bo­las en­con­tra­ram quem lhes ven­des­sem o cam­po e a pé­ro­la de gran­de va­lor. Quem de­sis­ti­ria de uma pe­dra de gran­de va­lor pa­ra ven­der à ou­trem? Quem se dis­po­ria ven­der o seu cam­po, sem des­con­fi­an­ça, ao per­ce­ber a von­ta­de in­sis­ten­te de um com­pra­dor que de­mons­tra ofe­re­cer qual­quer so­ma em di­nhei­ro pa­ra ob­tê-lo? Pa­ra que is­so ocor­res­se hou­ve as co­la­bo­ra­ções dos dois ven­de­do­res. Is­so de­mons­tra que den­tro do pro­ces­so evo­lu­ti­vo to­dos ne­ces­si­ta­mos uns dos ou­tros pa­ra a ob­ten­ção da vi­tó­ria fi­nal do bem em nós mes­mos. Nin­guém evo­lui sem a aju­da, sem a ge­ne­ro­sa in­ter­ven­ção do seu pró­xi­mo.

To­dos os di­as en­con­tra­mos te­sou­ros es­con­di­dos e pé­ro­las de gran­des va­lo­res na in­ti­mi­da­de da con­sci­ên­cia e du­ran­te a con­vi­vên­cia com os nos­sos mais pró­xi­mos, mas nem sem­pre se en­con­tra exem­plos de re­nun­cia aos va­lo­res me­no­res pa­ra aqui­si­ção de va­lo­res mai­o­res. Pe­lo con­trá­rio, aban­do­na-se a fa­mí­lia em tro­ca do su­ces­so pro­fis­si­o­nal, de­sis­te-se da paz e da for­ça da con­sci­ên­cia em tro­ca dos pra­ze­res sem res­pon­sa­bi­li­da­des mo­ra­is, por meio dos qua­is sur­gem os des­res­pei­tos às in­te­gri­da­des de na­tu­re­za fí­si­ca, psí­qui­ca, emo­cio­nal, afe­ti­va, fa­mi­liar e so­ci­al. De­vi­do ao des­res­pei­to às re­gras da evo­lu­ção es­pi­ri­tual, so­fre-se des­ne­ces­sa­ria­men­te. For­ças que de­ve­ri­am ser ca­na­li­za­das pa­ra avan­çar na sen­da da evo­lu­ção são uti­li­za­das pa­ra res­ga­tar dé­bi­tos mo­ra­is de di­fí­cil re­pa­ro.

Ne­nhu­ma cri­a­ção di­vi­na, no en­tan­to, é ex­cluí­da da evo­lu­ção. Quan­to à in­di­vi­dua­li­da­de es­pi­ri­tual, so­mos te­sou­ros pre­ci­o­sos de Deus, as su­as pé­ro­las mais va­li­o­sas. Por is­so, não se po­de de­sis­tir ou es­mo­re­cer di­an­te dos ob­stá­cu­los na­tu­ra­is ou com­pul­só­rios en­con­tra­dos du­ran­te o pro­ces­so evo­lu­ti­vo. Ao com­pa­rar o Rei­no dos Céus com te­sou­ros e pé­ro­las, Je­sus tam­bém nos en­si­na que to­do sa­cri­fí­cio em prol da evo­lu­ção e da per­fei­ção es­pi­ri­tual é vá­li­do. Por is­so, es­sa per­fei­ção tam­bém con­sis­te em não de­sis­tir des­se te­sou­ro inex­tin­guí­vel, o qual faz par­te da nos­sa es­sên­cia e que foi o te­sou­ro, a pé­ro­la ou o bem mais va­lo­ri­za­do por Je­sus: O Amor, o te­sou­ro de Deus que sus­ten­ta os uni­ver­sos, a ener­gia fun­da­men­tal de to­das as coi­sas e a ma­té­ria pri­ma do Rei­no dos Céus en­si­na­do por Je­sus.

Compartilhe a Verdade:


16
Deixe um comentário

Please Login to comment

Entre com:




15 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
15 Comment authors
Arthur LuigheJoão PedroJunior leiteIsrael NavesSamuel Peres Rodrigues Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Douglas Ceron
Editor

Nossa irmão. Isso deixa bem claro a mensagem contida em muitos filmes que já assisti. Muito interessante mesmo. Imagino que qualquer pessoa que ler este artigo se lembrará de alguma coisa peculiar em sua vida que fará sentido com tudo que foi relatado nele. DEMAIS!

Admin bar avatar
Editor

Que post maravilhoso. Está tão evidente no nosso dia a dia nossas pérolas, tesouros, mas muitas vezes acaba-se deixando os de lado por necessidades criadas por agentes externos dentro desse sistema sujo. Vive-se com tanto medo que não enxerga-se que o fator mais importante já está em nós. Fica-se tão preocupado o tempo inteiro em sobreviver que as possibilidades de buscar a verdade são reduzidas e a distorção propagada todos os dias dificulta a compreensão. POR ISSO, é importante compartilhar, para que mais pessoas possam encontrar suas pérolas e seus tesouros e sejam capazes de libertar. Luz pra nós 🌌

Igor santos
Membro

Muito incrivel🌟

Miryam Yoshiko
Admin

Que lindo texto mestre!

Jucemar Mello
Membro
Jucemar Mello

Parar de reclamar e aprender a navegar em meio às turbulências que nós mesmos criamos. Depois do entendimento e aceitação dilui o karma. Tudo tem valor, mas o importante é aprender dar o real valor as coisas!

Jonathan Muniz
Admin
Jonathan Muniz

Jesus Cristo Aquele que tentar salvar a sua vida, perdê-la-á. Aquele que a perder, por minha causa, reencontrá-la-á.

Fabi Aurelio
Membro
Fabi Aurelio

sem palavras !!! só gratidão edl!!!

Membro

Que texto riquíssimo em sabedoria! Grata irmão.

Pedro Sora
Editor

Lindo compartilhamento irmão!

Pedro Sora
Editor

” E eis que, aproximando-se dele um jovem, disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna? E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos. Disse-lhe ele: Quais? E Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho; Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo. Disse-lhe o jovem: Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda?Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo… Read more »

Samuel Rodrigues
Membro

MAGNIFICO!

Israel Naves
Membro
Israel Naves

Essas parábolas sempre fazem refletir, linguagem quântica pura!

Sayler Céfas 666
Membro

Lindo ♥

João Pedro
Membro

Eu não abro mão do tesouro que é o Reino de Deus.

Arthur Luighe
Membro
Arthur Luighe

LUZ P’RA NÓS!!