ter. nov 12th, 2019

Netanyahu planeja comparecer à posse de Bolsonaro

Compartilhe a Verdade:


O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, deve comparecer à cerimônia de posse de Jair Bolsonaro como presidente da República em 1º de janeiro de 2019. Se acontecer, será a primeira visita de um chefe de governo israelense ao Brasil desde a criação do ilegal Estado, em 1948.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a intenção foi comunicada pelo próprio Netanyahu ao presidente eleito durante uma conversa por telefone na segunda-feira (29/10) para cumprimentá-lo pela vitória da véspera nas eleições.

No telefonema, o ministro também fez um convite a Bolsonaro para uma visita a Israel, em comentários mais tarde sobre a conversa telefônica, ambos celebraram o estreitamento dos “laços de amizade” entre os dois países esperado a partir do próximo ano.

Segundo a Folha, o embaixador israelense no Brasil, Yossi Shelley, descreveu a conversa como “excelente, aberta, entre amigos”. “Eles se encontraram apenas uma vez em Israel, há dois anos e meio, mas era possível sentir que havia um calor que é mais do que uma conversa de cortesia. Foi possível sentir que havia uma química.”

Shelley se referia a uma viagem de Bolsonaro a Israel em 2016, então deputado federal, organizada pelo ex-candidato à Presidência Pastor Everaldo. Na ocasião, ele foi batizado nas águas do rio Jordão e afirmou que sua primeira visita oficial como presidente, caso eleito, seria ao estado do Oriente Médio.

Durante a campanha eleitoral, Bolsonaro disse ainda que pretendia, como chefe de Estado, reconhecer Jerusalém como a capital de Israel, transferindo a sede da embaixada brasileira de Tel Aviv para a cidade disputada. A medida seguiria os passos do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump – que, inclusive, também falou com o brasileiro nos últimos dias.

O embaixador, que visitou Jair Bolsonaro horas depois da vitória nas urnas, na segunda-feira (29), contou que Netanyahu brincou afirmando que seu filho também se chama Jair (o nome do filho mais velho do ministro israelense é “Yair”).

Foto da Embaixada de Israel no Brasil mostra o embaixador Yossi Shelley em encontro com Bolsonaro após sua eleição

Durante o governo Dilma Rouseff, o relacionamento diplomático entre Brasil e Israel foi afetado. Em 2014, durante o bombardeio de Israel sob a Palestina, um dos maiores genocídio marcado naquele ano.

Dois anos depois, em agosto de 2015, o governo Rousseff não aceitou as credenciais do candidato ao cargo de embaixador de Israel em Brasília, Dani Dayan. A motivação teria sido o fato de que Dayan liderou, de 2007 a 2013, o Conselho Yesha (representante dos 500 mil colonos israelenses na Cisjordânia e em Jerusalém Ocupada).

Nos oitos anos do governo Lula, o relacionamento não passou por muitas turbulências. Lula chegou a visitar o país, mesmo que tenha se recusado a colocar uma coroa de flores no túmulo do “pai do sionismo”, Theodor Herzl, o que causou um certo mal-estar aos israelenses. Por outro lao, lula aceitou colocar flores no túmulo de ex-presidente palestino Yasser Arafat, em Ramallah (Cisjordânia, considerado como “terrorista” pelos israelenses.

Compartilhe a Verdade:


7
Deixe um comentário

Please Login to comment
7 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
Douglas CeronMiryam YoshikoRafael Isaac FranchiniMárcio Henrique Brito VieiraJosimar Lima Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Membro

A situação é muito séria, mas não pude deixar de lembrar da música: ” Dê adeus … O Brasil agora é judeu” .
Agora os sionistas estão com os caminhos muito mais livres pra fazer o que mais sabem fazer. Por outro lado, também acreditamos e sabemos que a justiça divina é implacável. Luz pra nós!

Josimar Lima
Editor

A covardia e falsidade impera neste povo… Agora troca de caricias. Mas no fundo todos interessados nas riquezas do outro.bando de hipocritas

Freit EDL
Membro

Deixa eles acharem que estão enganando mais esse giro! quando derem conta o leão Brasileiro vai estar rugindo e pronto para estraçalhar ratos sionistas.

Márcio Henrique
Membro

A partir de 2019, a cobra vai fumar

Rafael Isaac Franchini
Membro
Rafael Isaac Franchini

Bora compartilhar com o povão.
Embora poucos darão a devida atenção aos fatos , nós sabemos do peso que se trata isso.
Lux p’ra nós!

Miryam Yoshiko
Admin

E as pessoas não enxergam a diferença do tratamento de Bolsonaro e de Lula para com Israel. Então imagem oque mais não enxergam!

Douglas Ceron
Editor

ratos