‘Não vou entrar na história como alguém que desiste de Jerusalém’

7
Compartilhe a Verdade!

Compartilhe a Verdade:


Capa: O presidente palestino Mahmoud Abbas realiza uma conferência de imprensa no edifício da presidência em Ramallah, Cisjordânia, em 3 de julho de 2019 [Issam Rimawi / Agência Anadolu]

Primeiro Ministro Palestino: ‘Não vou entrar na história como alguém que desiste de Jerusalém’.

O presidente palestino rejeitou no sábado o chamado plano de paz dos EUA no Oriente Médio, dizendo que a Palestina cortou todas as relações com os EUA e Israel .

Em uma reunião de emergência da Liga Árabe no Cairo, Mahmoud Abbas disse:

Rejeito o chamado ‘Acordo do Século’ e não entrarei na história como alguém que vende ou desiste de Jerusalém.

Os EUA “não são mais um país amigo da Palestina”, disse Abbas, acrescentando: ” Eu também me recusei a falar com Trump “.

Abbas anunciou durante seu discurso que a Palestina cortou todas as relações com os EUA e Israel, incluindo laços de segurança . Em 2014, Abbas  descreveu  a coordenação de segurança da Autoridade Palestina com Israel como “sagrada”. Ao longo dos anos, porém, ele ameaçou repetidamente encerrar essa colaboração com Israel, geralmente quando o financiamento da AP estava sendo ameaçado. Apesar disso, ele permaneceu fiel ao seu discurso de 2014 e a  coordenação de segurança entre a AP e Israel permaneceu firme .

Ele enfatizou que rejeitou o plano imediatamente depois que soube que isso permitiria que Israel anexasse Jerusalém.

Abbas disse que a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) reconheceu Israel desde 1988 e que, em troca, o ex-primeiro-ministro de Israel, Yitzhak Rabin, aceitou a OLP como representante legítimo da Palestina. Esse reconhecimento abriu o caminho para o histórico Acordo de Oslo de 1995, que os palestinos também “cancelaram”.

Ele afirmou que Trump não tinha conhecimento do conteúdo do plano, pois foi seu genro e consultor Jared Kushner quem o preparou, acrescentando que o plano permitiu a implementação imediata por Israel, mas que a Palestina teria permissão para exercer seus direitos sob o acordo proposto apenas quatro anos depois.

“Anteriormente, tínhamos aceitado o estabelecimento de um estado palestino em 22% da terra histórica da Palestina e agora eles exigem 30% dessa região restante”, disse Abbas.

Ele observou que, embora tenha encontrado Trump quatro vezes e delegações sucessivas dos EUA tenham visitado a Palestina 37 vezes, nenhuma dessas negociações produziu resultados.

Secretário-Geral da Liga Árabe Ahmed Aboul Gheit (E), Secretário-Geral do Comitê Executivo da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), Saeb Erekat (2), Presidente da Palestina, Mahmoud Abbas (C) e Ministro das Relações Exteriores do Iraque Mohamed Ali Alhakim (2) R) participar de uma reunião extraordinária dos Ministros das Relações Exteriores da Liga Árabe sobre o chamado plano de paz do Oriente Médio do presidente dos EUA, Donald Trump, no Cairo, Egito, em 1º de fevereiro de 2020 [Thaer Ghanaim / Presidência Palestina / Folheto – Agência Anadolu]

Resposta da Liga Árabe

Os ministros das Relações Exteriores da Liga Árabe, reunidos no Cairo, disseram que o plano não atendia às aspirações mínimas dos palestinos e que a Liga não cooperaria com os Estados Unidos na sua implementação.

Os ministros afirmaram os direitos dos palestinos de criar um futuro estado baseado nas terras capturadas e ocupadas por Israel na guerra do Oriente Médio em 1967, com Jerusalém Oriental como capital, disse o comunicado final.

Ministros das Relações Exteriores do Egito, Arábia Saudita, Jordânia, três aliados próximos dos EUA, além de Iraque, Líbano e outros disseram que não poderia haver paz sem reconhecer os direitos dos palestinos de estabelecer um estado nos territórios anteriores a 1967.

Depois que Trump revelou seu plano, algumas potências árabes pareciam, apesar do apoio histórico aos palestinos, priorizar laços estreitos com os Estados Unidos e uma hostilidade compartilhada em relação ao Irã em relação às alianças árabes tradicionais.

Três estados árabes do Golfo – Omã, Bahrein e Emirados Árabes Unidos – participaram do encontro na Casa Branca, onde Trump anunciou seu plano ao lado de Netanyahu.

Na terça-feira, Trump anunciou seu  plano de acabar com o conflito israelense-palestino  na Casa Branca, ao lado de Netanyahu, sem a presença de autoridades palestinas.

Durante o evento, Trump se referiu a Jerusalém como “capital indivisa de Israel”.

O chamado “Acordo do Século” anula unilateralmente as resoluções anteriores da ONU sobre a questão palestina e sugere dar a Israel quase tudo o que eles têm exigido. Desde então, as Nações Unidas rejeitaram o plano de paz de Trump .

Na sexta-feira, o presidente turco,  Recep Tayyip Erdogan, criticou líderes árabes e muçulmanos por aceitarem ou permanecerem calados sobre a questão do “acordo do século” dos EUA  .

Também na sexta-feira, o ex-presidente dos EUA Jimmy Carter anunciou que o  acordo de Trump viola o direito internacional.

As tensões aumentam a cada dia que passa e a verdade vem ficando cada vez mais exposta.

 

Luz pra nós!

Compartilhe a Verdade:



Compartilhe a Verdade!

Douglas Ceron

A verdade é viva e não exige ser provada à ninguém. Mostrá-la já é mais que suficiente para que almas dignas e grandiosas reencontrem o caminho de casa para contemplarem ao pai celestial e impronunciável com sua magnífica obra diante do verbo vivo. Luz pra nós. Amor e honra! Heil Lucifer!

7
Deixe um comentário

Please Login to comment

Entre com:




7 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
W.SilvaCamila RibeiroGustavo KraemerBruna SollaraJonathan Muniz Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Victória
Membro

Luz pra nós!

Jonathan Muniz
Editor
Jonathan Muniz

Luz p’ra nós!

Bruna Sollara
Membro
Bruna Sollara

Luz p’ra nós !!

Márcio Henrique
Membro

Parabéns ao primeiro ministro palestino, não tem negociação com esses sionistas bastardos!

Gustavo Kraemer
Editor

Luz pra nós!
– gratidão pelos posts

Camila Ribeiro
Membro

LUZ PRA NÓS!

W.Silva
Membro

#LuzPraNos

Next Post

Regina Duarte se reúne com Bolsonaro no Palácio da Alvorada

seg fev 3 , 2020
Compartilhe a Verdade!Compartilhe a Verdade:Atriz aceitou o cargo de secretária especial da Cultura do governo federal, porém nomeação ainda não foi oficializada. A atriz Regina Duarte se reuniu na manhã de sábado (1) com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada. Na última quarta-feira (29) ela anunciou que aceitou o […]

Siga-nos os bons

Ative o Sininho

Clique Aqui

Quem está online

Não há usuários online neste momento

Você:

Teus Téritos bônus

0 Téritos

Selo

300 Téritos

People who have earned this:

Pular para a barra de ferramentas