qua. set 18th, 2019

Japão reconhece a Palestina e aprova ajuda e financiamentos

Compartilhe a Verdade:


As autoridades palestinas confirmaram no domingo que o Japão está no processo de reconhecimento do Estado da Palestina e aumentará o financiamento para a UNRWA, o órgão da ONU encarregado de apoiar os refugiados palestinos, em um impulso ao estado palestino em meio a um período turbulento de violência, cortes de ajuda e diplomática crise após o anúncio de Donald Trump em Jerusalém.

Nabil Shaath, conselheiro de relações internacionais do presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, anunciou no domingo que o ministro japonês dos Negócios Estrangeiros, Taro Kono, está em processo de coleta de assinaturas de parlamentares japoneses para exigir que o governo reconheça a Palestina, de acordo com a agência de notícias palestina Wafa.Shaath disse à estação de rádio Voz da Palestina que o Japão reconhecerá a Palestina em um processo gradual e espera-se que eleve o nível de representação diplomática palestina no país da delegação para um escritório representativo.

“O Japão apoia a formação de um novo quadro internacional para a gestão do processo de paz, libertando-se do monopólio dos EUA sobre ele”, disse Shaath.

Ele acrescentou que o Japão está comprometido com o apoio político e econômico da Palestina e se comprometeu a financiar projetos de água na Faixa de Gaza e a aumentar sua contribuição financeira para a UNRWA, na sequência dos cortes nos fundos dos EUA na agência.

Também foi anunciado que o Japão doou 3,9 milhões de shekels (aproximadamente US $ 1,1 milhões) à reconstrução do estádio de Rafah, no sul de Gaza, que foi destruído por Israel.

Autoridades de Gaza acrescentaram que o Japão financiará a construção de uma estação de tratamento de águas residuais, no valor de 5,46 milhões de shekels (aproximadamente US $ 1,6 milhões), que fornecerá água limpa para fins agrícolas.

O Japão já apoiou uma solução de dois estados e está abertamente comprometido com o estabelecimento de um Estado palestino, no entanto, seus últimos gestos diplomáticos proporcionam esperança concreta de tal futuro.

O movimento do Japão ocorre semanas depois que o governo da Bélgica prometeu US $ 19 milhões (US $ 25 milhões) para a UNRWA nos próximos três anos, em resposta ao pedido da organização para doações após os cortes dramáticos do financiamento da Trump.

“Tenho muito respeito pelo trabalho da UNRWA, que tem que operar nas circunstâncias mais difíceis e perigosas. As condições de vida em Gaza, na Síria, na Cisjordânia e em outros lugares da região são particularmente difíceis”, Vice-Primeiro Ministro e Ministro do Desenvolvimento Cooperação Alexander De Croo disse.

“Para muitos refugiados palestinos, a UNRWA é a última bóia de vida. Com a ajuda da UNRWA, meio milhão de crianças da Palestina podem ir para a escola, o que os impede de se cair em radicalização e violência extrema”.

A declaração de Croo também emitiu uma mensagem resiliente diante do congelamento de fundos de Donald Trump, enfatizando que a Bélgica, juntamente com seus países europeus e a Comissão da UE, foi “de longe” o maior doador da UNRWA.

Mahmoud Abbas visitou Bruxelas em janeiro para exortar a UE a reconhecer o estado palestino. Atualmente, apenas um país membro – Suécia – faz isso.

Japão deplora a atividade de assentamento ilegal de Israel em terras palestinas.

O governo japonês criticou Israel na terça-feira dizendo que “deplora profundamente” os planos israelenses de construir ilegalmente mais de mil unidades habitacionais nos assentamentos ilegais na Cisjordânia ocupada.

Israel ocupa a Cisjordânia ilegalmente desde 1967, cometendo vários crimes contra civis palestinos.

Mais de 600.000 judeus israelenses vivem em assentamentos na Cisjordânia ocupada e Jerusalém Oriental, em construções consideradas ilegais pelo direito internacional.

Junto com o roubo de terras, ocupar as forças israelenses e colonos rotineiramente atormentam os palestinos.

No início deste mês, a Autoridade Palestina condenou um novo plano para construir 20 mil unidades ilegais de assentamentos israelenses na cidade ocupada de Jerusalém como uma “declaração de guerra”.

O porta-voz da AP, Yousef al-Mahmoud, disse na quinta-feira que o plano de assentamento é um crime cometido por autoridades israelenses e norte-americanas.

“Isso é uma declaração de guerra sobre a existência da cidade e suas características árabes e islâmicas e uma tentativa de enterrar essas características distintivas”, disse Mahmoud

Ele alertou que a medida “levará a região e o mundo a mais conflitos e violência”.

Na quarta-feira, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, disse que os palestinos vão derrotar o novo plano de assentamentos.

Compartilhe a Verdade:


17
Deixe um comentário

Please Login to comment

Entre com:




16 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
16 Comment authors
Admin bar avatarJoão PedroDouglas CeronIgor santosRafael Gustavo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Sayler Céfas 666
Membro

Mais um País declarando guerra contra a Falsa Israel

Aos poucos todos os países estão despertando!

A palestina irá receber as maiores honrarias do mundo junto com os negros!

W.Silva
Membro

Novas ondas de energia estao adentrando no mundo de 2018 em diante!
2019 vai se intensificar mais ainda, e rumo a limpeza vibracional.
O mundo precisa de paz e amor, nao mais guerras e sofrimentos dos povos.
Ninguem nasceu pra ser odiado, todos queremos ser amados e termos nossa honra em ter capacidade de conquistar nossos objetivos sem pisar em ninguem.
#LuzPraNos

Freit EDL
Membro

Já era de se esperar, o Japão é uma grande nação, que a honra reine sobre nossos irmãos japoneses que deram um grande passo nessa luta. A prosperidade lhe deixará frutos por essa escolha irmãos!

Josimar Lima
Editor

Eis o princípio da queda do dólar e seus administradores.
A coerência viva esta dentro de cada um justo e faz se presente através dessa coragem de enfrentamento pois ja basta!

Visitante
Andrey Vasilev

Oss!

Miryam Yoshiko
Admin

Show! Apesar de não ser um País predominantemente cristão, o consciente coletivo está alinhado com a justiça, o povo sofreu desdobramentos com a guerra. Que continuem cada vez mais engajados nas causas pela humanidade.

Membro

O cerco está se fechando para Israel. Logo todas as nações saberá de suas falsidades.

Pedro Sora
Editor

boa japão! sempre tive um respeito pela cultura japonesa que legal saber isso, que mais paises fechem as portas pra esse crime judaico contra os povos!

Romário Vieira
Membro
Romário Vieira

A justiça se faz presente hoje e sempre! Caia Israel!

Israel Naves
Membro
Israel Naves

Nossa… viva os japas! tomara que sustentem esse posicionamento no médio pra longo prazo…

Alexandre Pontes
Membro
Alexandre Pontes

Japão e Bélgica mostrando ao mundo a relevância do Estado Palestino.
Que muitos outros países sigam o mesmo rumo e tragam a paz de volta à região.

Rafael Gustavo
Membro
Rafael Gustavo

A verdade esta aparecendo, estamos acordando e Israel esta sendo desmascarada….

Igor santos
Membro

A justiça está ecoando!

Douglas Ceron
Editor

Japão não está tendo nenhuma atitude qual não seja condizente com sua linha evolutiva consciencial. Um povo que pode ser usado como exemplo pela sua união e verdadeiro senso de justiça coletiva e social que paira em todo seu povo. Pelo menos na grande maioria. Que aos poucos essa fagulha ascenda nossas consciência aqui no Brasil. Obrigado por compartilhar.
Luz pra nós!

João Pedro
Membro

se por aqui houvesse um despertar nos irmãos de nação que gerasse um sentimento de união como no Japão iria ser algo muito forte, morou sangue bom.

João Pedro
Membro

Luz pra Palestina!

Admin bar avatar
Membro
Henrique Barboza Vaz

Colômbia, Japão…que cada vez mais países reconheçam! Luz pra nós!