Inteligência Artificial derrota humanos em jogos de primeira pessoa

Compartilhe a Verdade:


Máquina derrota humano – de novo

Pesquisadores da empresa DeepMind, que pertence ao Google, criaram jogadores virtuais, ou bots, que aprenderam sozinhos – sem qualquer instrução prévia – a jogar dois videogames multijogadores em 3D na primeira pessoa.

Esses agentes de software alcançaram habilidades semelhantes às humanas, não apenas jogando sozinhos, mas também cooperando para atingir um objetivo comum.

Este é um avanço significativo em relação aos feitos anteriores da empresa, que envolveram derrotar jogadores humanos de xadrez e Go.

Os agentes de inteligência artificial, que aprenderam com base em uma técnica de aprendizado de máquina conhecida como “aprendizagem por reforço”, demonstram uma capacidade incomum de desenvolver e usar estratégias de alto nível, aprendidas por eles próprios de forma independente, para competir e cooperar no ambiente do jogo.

 

 

Aprendizagem por reforço

A aprendizagem por reforço, um método usado para treinar agentes artificialmente inteligentes, já havia mostrado seu potencial ao gerar jogadores virtuais inteligentes capazes de navegar em ambientes de jogador único cada vez mais complexos, como xadrez e Go.

No entanto, a capacidade de disputar com vários jogadores simultaneamente, particularmente jogos que envolvem trabalho em equipe e interação entre vários jogadores independentes, nunca havia sido demonstrada justamente por ser algo de um nível de complexidade muito superior.

Max Jaderberg e seus colegas demonstraram o potencial do seu bot de inteligência artificial em partidas em primeira pessoa nos jogos Quake III Arena e Capture a Bandeira.

Em contraste com demonstrações anteriores, nas quais os agentes de inteligência artificial recebiam um “conhecimento” prévio sobre o ambiente do jogo ou o status dos outros jogadores, esta nova abordagem assegurou que cada agente de software aprendesse independentemente por sua própria experiência, usando apenas o que o próprio programa poderia “ver” – os píxeis da tela e a pontuação do jogo.

Um sistema de software desse tipo que seja incorporado em um robô também seria alimentado de informações da mesma forma, já que as câmeras fornecem justamente píxeis.

 

 

Derrotando ou cooperando com humanos

Colocados uns contra os outros, uma população de agentes de inteligência artificial aprendeu a jogar envolvendo-se em milhares de partidas em ambientes gerados aleatoriamente. Segundo os pesquisadores, com o tempo os agentes desenvolveram de forma independente estratégias surpreendentemente de alto nível, similares àquelas usadas por jogadores humanos de grande habilidade nos dois jogos.

Além disso, em partidas contra jogadores humanos, os agentes superaram os adversários humanos, mesmo quando os tempos de reação dos agentes eram reduzidos a níveis humanos.

Mais do que isso, os agentes formaram equipes tanto com outros agentes, quanto com outros jogadores humanos, e cooperaram com ambos rumo ao objetivo de ganhar a partida.

 

 

Tecnologia para o bem e para o mal

O feito é notável e deve ser comemorado porque pode-se pensar em inúmeras possibilidades de uso dessa tecnologia para o bem da humanidade.

Contudo, tem havido também alertas sobre a necessidade de estabelecer limites para a inteligência artificial, para pelo menos tentar direcionar a tecnologia para uma inteligência artificial do bem.

Conforme os programas começam a se mostrar superiores em situações de competição e, potencialmente, da violência embutida nos jogos de videogames, talvez seja a hora para começar a considerar os avanços tecnológicos na área sob uma perspectiva mais ampla.

Entre os temores estão a criação de robôs assassinos e a perda do controle humano sobre a inteligência artificial, uma vez que logo os programas de computador vão se programar sozinhos.

Compartilhe a Verdade:


12
Deixe um comentário

Please Login to comment

Entre com:




12 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
12 Comment authors
Kaique AguiarbuizaoPedro SaintsGustavo KraemerThiago Galhas Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Josimar Lima
Editor

Wtf! Estigante notícia! O que prova que o nosso mestre sempre esteve certo!
Nada é aleatório porém o simples aprendizado de dor e alívio ceia tudo … Luz pra nós.

Raquel Broll
Membro

Em um mundo de máquinas milhões de vesses mais inteligentes que humanos o que vale tantas pessoas cegamente defender suas capacidades intelectuais? É para se pensar, aqui sabemos graças ao metre Bob, que o que nôs torna especiais e únicos para Deus é a humildade, o sentimento puro de compaixão que vem do coração, isso ás máquinas nunca poderão superar, gratidão pelo post. Luz pra nós!

Leandro Quantum Oliveira.

Cada vez chegamos mais pertos do passado.
Luz p’ra nós.

João Pedro
Membro

Luz pra nos!

Admin bar avatar
Membro
Richard Maquiavel

Cada vez mais a I.A está alcançando mais altos níveis de “inteligência.”
O problema é na mão de quem está e qual os objetivos.
Sabemos que Hollywood desde sempre em seus filmes e séries sempre mostra esse conflito de Humanos X Máquinas.
Proclamando”guerra” antes mesmos de tal tecnológicos vir átona
Excelente post
Luz p’ra nós!

Miryam Yoshiko

Como tudo na vida, quando “desenvolvido” em sua máxima potência (quando se exagera), tem seus malefícios. Esse avanço da I.A. em respeito aos robôs sempre foi discutida e prevista como uma ameaça. É admirável e temível ao mesmo tempo. E quem está desenvolvendo, Google? Google é de quem?

Lin de Oliveira
Membro
Lin de Oliveira

Excelente post..
luz pra nos …

Thiago Galhas
Membro

O avanço tecnológico é inevitável, sabemos. O importante de fato, é sabermos utilizar. O problema é que todos esses recursos ficam nas mãos nós sabemos de quem. Mas enfim… faz parte. O importante é que estamos plasmando nosso reino, e nele nós utilizaremos da tecnologia e dos demais recursos de forma justa, simétrica, obviamente.
Luz p’ra nós!

Gustavo Kraemer
Editor

massa!

Pedro Sora
Editor

Que matéria boa!

Reynaldo Mattar Neto (Buizão)
Membro

Aí sim hein! Bora

Kaique Aguiar
Membro
Kaique Aguiar

Os Bots estão cooperando entre si, muito louco isso, mais uma prova de que a inteligência artificial tem potencial para ultrapassar nós seres humanos