qui. nov 14th, 2019

A grande crise mundial: o início de uma tribulação

Compartilhe a Verdade:


              Olá a todos, tudo bem com vocês? Espero que sim. Muitos aqui não me conhecem bem, por isso farei uma breve síntese para que entendam as origens do estudo que quero trazer para vocês hoje. Por muito tempo, nos desdobramentos iniciais que culminaram em meu despertar do teatro judaico graças aos conhecimentos fornecidos aqui na EDL, eu procurei compreender a política e a economia como um todo buscando entender o mundo confuso ao meu redor. Com o intuito de aprender tais coisas, acabei encontrando em algumas análises da escola austríaca muitas respostas para as sínteses de compreensão as quais eu precisava transbordar naquele momento para chegar até aqui.

              Hoje, com o abocanhamento das perspectivas que a verdade abordada nos ensinamentos da escola traz, é possível enxergar falhas no modelo econômico austríaco que serão abordados no decorrer desse artigo, afinal assim como a grande maioria dos modelos econômicos existentes, a exemplo do Keynesianismo, da escola de Chicago e da própria escola austríaca, eles se estruturam pelas bases filosóficas de Adam Smith, que propaga o individualismo como a melhor solução econômica para o todo, algo amplamente refutado por nós da escola que provamos com base em conhecimentos milenares, como é o caso da geometria sagrada, que a união é muito mais vantajosa que o individualismo, o que pode ser encontrado no teatro pelas obras do matemático John Nash como já abordado no artigo “Brasil: o país mais rico do mundo”.      

             Entretanto, para os alunos aqui da escola já não deve ser novidade que estamos vivendo tempos proféticos, e que os próximos desenrolares do teatro coletivo serão conturbados. Desastres naturais, acontecimentos geopolíticos, rumores de guerras, e muitas outras profecias já se cumpriram e estão se cumprindo cada vez mais conforme o tempo passa, mostrando a possibilidade de já estarmos vivendo o início das dores que antecederiam à grande tribulação descrita no livro de Apocalipse, como estudado em  “o que dizem as profecias?”.   Paralelamente a isso, estudiosos da economia global acreditam que exista uma grande crise mundial por vir, fato que corrobora todas as verdades bíblicas e científicas disseminadas aqui na escola, e que quase que por ironia do destino, o modelo econômico que melhor explica e prevê crises mundiais é a análise estatística feita pelos economistas austríacos, justamente aqueles que estruturam as bases do anarco-capitalismo que nega os princípios cristãos de união pela honra e amor, nega os ensinamentos bíblicos, a meritocracia e a hierarquia, negam a Cristo como um rei, muitas vezes são ateus e nem acreditam em seu retorno, ou mesmo em Deus e na bíblia, mas ainda assim acabam por reforçar toda a verdade e importância dos textos sagrados.     

             Por isso hoje quero trazer um estudo com o intuito de mostrar ao leitor que de fato tal cataclismo econômico não só “seria” iminente, como já é real e já está acontecendo, utilizando dos próprios argumentos dos austríacos para provar  não só o que ensinamos na escola, tanto no que diz respeito a teologia quanto no que diz respeito ao cientificismo, mas provar também para os mais atentos que a tribulação já começou.

 

! ATENÇÃO, ESSE TEXTO PODE CONTER SPOILERS DO FUTURO !

 

 

           O alarmismo é grande, já não é mais segredo e sim, um fato. As fontes expostas na imagem acima são só poucos exemplos, e todas foram usadas na corroboração das análises feitas a seguir. O objetivo aqui foi trazer essa informação importantíssima que já não é mais novidade para o mundo econômico para aqueles que não entendem de economia, de forma que qualquer um consiga compreender e estar ciente do que está por vir. Entretanto descomplicar algo que a centenas de anos foi estruturado para ser propositalmente complicado de entender afim de manter as pessoas alienadas é uma tarefa desafiadora, e exige esforços de ambos os lados, tanto de quem escreve quanto de quem lê, pois são informações que apesar de simples, intimidam.

           Por isso peço ao leitor para que vá com calma, pois é muita informação e isso poderá cansar muitos de vocês, caso isso ocorra, descanse e continue outro dia, mas não desista de ler o artigo até o final, pois entender as informações contidas aqui é de suma importância.

 

primeira coisa que se faz necessário entender é que toda crise na verdade surge por um mesmo motivo, motivo esse que também é usado como resposta para solucionar o próprio problema que ele criou, e esse motivo é a expansão monetária.

  • EXPANSÃO MONETÁRIA

           Esse termo na verdade é usado para referir-se ao aumento de papel moeda fiduciário (que não tem nenhum lastro ou valor a não ser aquele que as pessoas dão a quem emitiu o título – “bancos centrais”) na economia (relações humanas de troca, entenda mais aqui). Ou seja, a expansão monetária é justamente o ato de expandir a moeda em circulação nas relações de troca de produtos e serviços entre indivíduos (economia) sem que haja necessariamente um aumento na produção de riqueza para contrabalancear a moeda que foi injetada na economia, uma vez que a moeda não tem lastro, dessa forma toda a riqueza existente (PIB) acaba sendo diluída em mais papéis, o que faz com que consequentemente os preços dos produtos fiquem mais caros, conhecido como inflação.

        Os “métodos” golpes para se fazer a expansão monetária são muitos e geralmente essas armadilhas acabam trazendo muito caos para as pessoas as quais não tem conhecimento e acabam por confiar nessas instituições financeiras, tanto no que diz respeito as oportunidades de investimentos que eles oferecem, quanto no que corresponde a sua moral como instituição  responsável por cuidar do dinheiro que essas pessoas conquistaram com muito suor.

        Ao confiar nos bancos, em sua moral e em suas oportunidades que buscam agradar com comerciais bem produzidos, os quais te levam a entender que vai ficar tudo bem, que é só pegar um pequeno empréstimo ou então investir em alguma nova oportunidade de ganhar mais dinheiro que eles alegam ter especialmente para você, muitos acabam perdendo tudo que conquistaram em toda uma vida para as dívidas que se acumulam de maneira agressiva e apenas calculável e passível de se prever com a ajuda da tecnologia contida nas calculadoras científicas, devido a pratica de juros composto cobrado em tudo o que o banco faz ou oferece. Ou então ao procurar investir seu dinheiro ,acaba participando sem saber de maneira indireta na expansão monetária de moeda fiduciária (FIAT)  pelas oportunidades de investir com renda fixa  no tesouro direto por exemplo, o que por sua vez sofrerá com o efeito multiplicador de keynes expandindo a moeda e agravando a crise, a inflação e tudo o que há de pior na economia.

       Esse efeito conhecido como multiplicador de Keynes foi forjado, elaborado e difundido pela frente econômico-ideológica Keynesiana e acaba tendo todo seu corpo acadêmico-científico usado de testa de ferro para defender a ideia absurda de que a expansão monetária é boa para a saúde da economia ou mesmo para sair de crises, o que acaba servindo como uma luva para o controle da engrenagem financeira desse sistema criado pelos Judeus talmudistas que abordaremos mais adiante.

             Talvez o método  mais comum para se injetar crédito na economia sem colapsá-la de uma só vez seja a  manipulação  da taxa de juros cobrada em empréstimos para que essa fique mais barata, chegando a contorcê-la tão bruscamente a ponto de baixar por muitas vezes ao número absurdo de 0%, fazendo com que a tomada de crédito por indivíduos torne-se algo interessante em um primeiro momento para muitos que sonham em abrir um negócio próprio, construir uma casa ou ‘n’ outros motivos que se possa existir para isso, uma vez tendo a possibilidade de tirar crédito sem pagar nada de juros. O fato é que essa política de expansão monetária disseminada pelo Keynesianismo realmente acaba movendo a economia no curto prazo, dando uma falsa impressão de prosperidade, afinal com os empréstimos tomados as pessoas tem mais dinheiro no bolso e tendem a investir esse dinheiro de forma a ganhar mais em cima disso, ou construindo empresas, lojas, serviços e produtos, o que acaba gerando empregos, ou então buscam garantir que esse valor do dinheiro emprestado não se perca com o tempo devido a inflação, portanto procuram investir em bens (ativos) que garantam uma reserva de valor como o mercado imobiliário, o mercado financeiro, títulos de dívida pública e outros, entretanto uma hora o juros sobe, e os endividados quebram transformando toda a pseudo-prosperidade em uma grande crise.

        A partir daí já dá pra entender porque que as crises sempre são endereçadas à bolhas formadas em um desses meios de reserva de valor, como a crise de 29 que em detrimento a toda injeção de credito feita pelo FED na economia americana no decorrer dos anos 20, fez com que muitas pessoas fizessem empréstimos devido aos baixos juros (entenda como o juros abaixa nos primeiros  5 minutos desse vídeo aqui ) e investissem esse dinheiro na bolsa de valores de Nova York, fazendo com que a mesma crescesse por um tempo, entregando a falsa impressão de prosperidade novamente, e fazendo com que mais e mais pessoas buscassem esse tipo de investimento, porém quando o juros começou a subir e as pessoas começaram a ficar inseguras, tomaram a atitude de retirar seu dinheiro na tentativa de quitar suas dívidas, e como essas, devido ao juros composto, crescem em proporções muito maiores que os ganhos auferidos por aquele empréstimo, muitas pessoas começaram a falir aumentando a insegurança e a retirada do dinheiro investido, o que culminou no crash da bolsa de Nova York como conhecemos (saiba mais). Para sanar esse problema a solução do governo foi imprimir mais dinheiro baseado em títulos de dívida pública para ofertar mais e mais credito à juros baixos para as pessoas, trazendo de volta mais uma vez o sentimento de prosperidade que se manteve funcionando por um tempo até estourar na crise de 2008 que dessa vez foi endereçada ao setor imobiliário pelos mesmos motivos da última.

       Assim foi e assim é com todas as crises, a solução do governo é sempre expandir a moeda para encobrir os danos do esquema de pirâmide que o dinheiro fiduciário é, devido à ausência de lastro e por ter a política expansionista baseada na dívida pública como ferramenta mantenedora da engrenagem financeira. Como a tentativa de tampar o sol com uma peneira, gerar mais crédito na economia pra manter a engrenagem financeira funcionando não adianta e gera crise atrás de crise, que são na verdade todas uma mesma crise postergada, e que vai se acumulando até atingir seu colapso total.

      O caos aflora quando o juros sobe, e o juros tem que subir, afinal ele só pôde ser abaixado primeiramente por um contorcionismo econômico feito em conluio pelo banco central e o banco que está ofertando os empréstimos, quando isso acontece toda aquela falsa prosperidade criada começa a desmoronar, pessoas vão a falência por não conseguir quitar suas dívidas e o país caminha para um caos pior que o anterior, e o fato de que o indivíduo que toma o empréstimo não ter a menor noção do funcionamento desse sistema o torna vítima de um verdadeiro golpe.

      E esse golpe não para por aí, como os bancos fazem para expandir a moeda na verdade pouco importa e não entrarei mais afundo nesse detalhe, entretanto deixarei fontes para os interessados em se aprofundar no assunto ao longo do artigo, o que realmente importa é que eles de fato fazem isso, e fazem de maneira desenfreada, usando isso como resposta para todas as crise, e que há de ter um fim, e meu objetivo é mostrar que esse fim chegou, então vamos aos fatos.

 

          O gráfico acima basicamente representa a soma da expansão monetária feita desde 2003 pelos bancos centrais Europeu (ECB), Americano (Fed), Japonês (BoJ), Inglês (BoE) e Suíço (SNB), e até o momento de publicação desse artigo, o valor final de 15,1 Trilhões de dólares criados representado no gráfico já terá aumentado consideravelmente.

          Vale observar que após a crise de 2008, fica evidente que a medida adotada para sanar a crise foi realmente a expansionista, e essa atitude nada mais fez que postergar algo iminente de acontecer: o colapso do sistema financeiro vigente. Em 15 anos, o crédito foi expandido em quase 5 vezes, e isso significa que muitas famílias se endividaram com empréstimos bancários, e sendo assim, uma das recorrentes atitudes desses indivíduos é investir na bolsa de valores, e analisando o comportamento desse mercado nos últimos anos é possível observar o seguinte:

 

        A linha azul do gráfico acima representa o mesmo gráfico que o anteriormente apresentado só que a partir de 2014, e a linha verde representa o comportamento das ações das cinco maiores empresas de tecnologia, sendo elas facebook, amazon, Apple, google e Microsoft. É interessante notar como a similaridade no comportamento das curvas se faz muito presente, afinal uma causou a outra.

       E isso é só um exemplo, como dito anteriormente quando as pessoas fazem empréstimos bancários, elas buscam investir esse dinheiro em algo que faça com que o valor do mesmo se conserve durante o tempo, protegendo-o assim da inflação, por isso buscam as chamadas reservas de valor como o exemplo acima do mercado financeiro. Dessa forma outros setores da economia são objetos de interesse, como o mercado imobiliário e todos os outros possíveis e imagináveis passíveis de gerar algum lucro, por isso quando a bolha estoura e a crise se aflora o que acontece é uma queda abrupta de todos os setores da economia, culminando em uma grande crise, e como o dólar é a moeda no qual quase todas as outras se baseiam devido ao  acordo de Bretton Woods, a sua recessão ou o seu colapso culminam em em um mesmo ponto: uma grande destruição do sistema financeiro mundial.

       Para entender melhor esse processo o leitor pode pensar na seguinte metáfora: sempre que os bancos expandem o crédito na economia para resolver situações de crise, é como se ele estivesse esticando um elástico, entretanto, duas coisas podem acontecer, ou os bancos param de esticar o elástico para impedir que ele estoure, fazendo com que toda a economia se retracione, processo que gerou as crises de 1929 e 2008 por exemplo, ou eles continuam expandindo o crédito para impedir que o elástico se retracione, o que resolve temporariamente as situações de crise, mas estimula o total colapso do elástico.

       De qualquer maneira, a economia mundial já está fadada à morte, veja a seguir o tamanho da dívida pública que a medida expansionista do FED causou nos Estados Unidos:

 

 

       $21,9 Trilhões de dólares foi o que a medida expansionista do FED gerou de dívida em seu país, e claro que muito desse dinheiro é usado para fazer com que outros países aceitem grandes quantidades de empréstimos via FMI em medidas desenvolvimentistas, como explica o Assassino Econômico John Perkins que antes de virar assassino econômico do governo americano foi economista chefe da Chas T. Main Inc. uma empresa de engenharia especializada em geração de energia nos E.U.A e comprada em 1985 pela Parsons Corporation.

       São esses empréstimos, entre outras coisas, que permitem que os bancos centrais dos países que os tomam para si, gerem uma expansão monetária em seu território para resolver diversos tipos de problemas econômicos, sociais e políticos, e também são esses empréstimos que permitem as famílias dos falsos Judeus Talmudistas donos do Dólar escravizar eternamente aquele país em dívidas, um golpe recorrentemente utilizado em sua tática de dominação mundial. E aí é que tá, até aqui qualquer economista austríaco concordaria com a grande parte das afirmações econômicas que eu fiz, a final são todos argumentos usados por eles para explicar uma “possível” crise mundial em sua visão. Entretanto, essa vertente de pensadores econômicos que são muito inteligentes por sinal, vista toda análise abordada aqui e estruturada por eles acerca do cenário econômico mundial, se perde ao pensar que os governos adotam essa política expansionista Keynesiana em uma atitude simplesmente burra, para tentar intervir na economia de um jeito errado, tentando salvar empresas que segundo eles deveriam falir.

       Essa tese acaba sendo usada de forma a corroborar sua filosofia Anarco-capitalista de que o mercado deveria ser livre de intervenções estatais, de forma a deixar as empresas menos competentes falirem para que as melhores se sobressaiam. E eu não estou dizendo que não é verdade que as empresas deveriam falir, até porque os governo realmente impedem a falência de algumas empresas que lhes é conveniente, como o Uber e Snapchat, com crédito subsidiado. Contudo essa tese da a entender que todo o cenário catastrófico do sistema financeiro mundial é somente devido a uma política econômica intervencionista falha, que vem sendo mantida a mais de 100 anos, e é claro que pensando assim você vai chegar a conclusão de que o governo não deveria intervir na economia, ou mesmo não deveria existir, mas acontece que é óbvio que toda essa situação não é apenas uma atitude burra, e o buraco é muito mais embaixo do que isso. 

        Por algum motivo esses pensadores não sabem ou  ignoram o fato bíblico de toda essa política expansionista ser parte dessa engrenagem financeira ao qual estamos submetidos, que é estrategicamente usada pela elite global de falsos Judeus Cabalistas e defendida pela frente Keynesiana – que nada me surpreenderia descobrir ter sido financiada por eles – de forma a justificar “cientificamente” e permitir sua tentativa de dominação mundial.

 

       Caso o leitor seja novo no site, e não sabe a verdade sobre os Judeus donos do mundo, convido-o a explorar as informações aqui disponíveis que abordam massivamente esse tema, pois tendo em mãos esse conhecimento fica mais do que evidente que abolir o estado e entrega-lo nas mãos do livre mercado, do capitalismo, não é nem de longe a melhor opção, já que ele  acaba sendo um dos únicos entraves na estratégia de dominação mundial desses Judeus, uma vez que precisam passar pelo processo de corrupção para servir a seus interesses. Abolí-lo e entregar nas mãos do capital, do livre mercado, é entregar o país e todas suas riquezas naturais de bandeja à elite que logo compraria tudo, uma vez que é dona da engrenagem que mantém a ilusão que a permite comprar e inclusive corromper o estado que deveria unir a nação: o dinheiro fiduciário.

       Mas vamos passar agora para os argumentos finais da análise macroeconômica da escola austríaca de economia que defende o fato de estarmos na iminência de uma grave crise mundial. Veja o que os empréstimos feitos nos últimos 100 anos pelo FED, tanto para o seu próprio país quanto para outros, fez com o cenário econômico mundial:

 

 

         Obviamente, esses valores já estão ultrapassados, pois crescem a passos largos, mas $74 Trilhões de reais em dívida é o resultado direto das políticas expansionistas Keynesianas, devido ao efeito multiplicador de Keynes, que faz com que os bancos que receberam a injeção de crédito via banco central consigam expandir a moeda muito mais do que seria possível em uma situação na qual esse efeito não se fizesse presente. 

         Dessa forma, muito mais dinheiro acaba sendo ofertado para empréstimos de pessoas físicas e jurídicas, e como todo dinheiro emprestado começa a acumular juros composto no mesmo instante em que aparece na conta corrente do indivíduo ou da empresa, o que tem que voltar para o banco é sempre muito mais do que entrou, o que até seria possível se houvessem riquezas sendo geradas do outro lado de forma a se ter um balanço, mas o dinheiro fiduciário ignora essa necessidade, uma vez que não tem lastro, e o resultado disso é o mundo inteiro mergulhado em dívidas.

         Bom, como já dito anteriormente, toda essa manipulação de mercado é feita de forma a baixar os juros, para que ocorram empréstimos e tenhamos aquela alavancagem monetária que nos entrega a pseudo-prosperidade que logo acaba em crise. Em contra partida toda crise é ignorada com uma nova alavancagem monetária que volta a injetar crédito na economia para nos fazer acreditar que estamos resolvendo o problema e caminhando para a prosperidade, esticando mais e mais o elástico que está nos limites da resistência de seu rompimento, agravando cada vez mais o problema que tem um único fim: o total colapso do sistema financeiro mundial que conhecemos.

 

Entenda melhor o funcionamento desse golpe com dois trechos de um documentário que disponibilizarei completo legendado no final do artigo, no qual David Icke explica de forma objetiva esse processo:

David Icke on Fractional Reserve Banking Scam

 

  • E como foi o comportamento do mercado em 2018?

            No dia 4 de dezembro de 2018, saiu uma informação no tweeter de que o índice S&P 500, que é uma carteira teórica das 500 ações mais representativas e negociadas na Bolsa de Nova Iorque (NYSE) e na NASDAQ, teria perdido mais de $755 Bilhões de Dólares em um único dia, e o fato é que nesse dia  o índice teve uma queda em seu valor de cerca de “apenas” 3%. Achou muito? Isso foi apenas o resultado de um dia de queda, observe a situação desse e dos principais ativos dentre as principais bolsas de valores ao redor do mundo no final desse ano de 2018:

 

       Como é possível constatar, os resultados de tanta injeção de credito na economia feita para postergar a crise de 29, e depois de novo para postergar a de 2008, já começou a apresentar seus sintomas de desmoronamento, o que poderia ser “apenas” mais uma crise, mas devido a causas proféticas já abordadas no artigo “o que dizem as profecias?” e que serão um pouco mais abordadas a frente, nos levam a ter quase  certeza de esse ser na verdade não só o processo final do desabamento de toda a engrenagem financeira sustentada pela elite global de Judeus, mas também o início de uma grande tribulação. Mas antes de adentrarmos nesse assunto, vejamos mais alguns dados que faz considerar a possibilidade de já estarmos vivendo esse colapso econômico.

       O que vemos a seguir é o comportamento do mercado de ouro na economia. Esse recurso natural, por sua escassez e características físico-químicas é a milênios utilizado como um ativo de reserva de valor, tendo sido por muitas vezes usado diretamente como moeda, por possuir baixa volatilidade em seu preço de mercado. Sendo Assim em tempos de crise, muitos investidores atentos ao mercado retiram seus investimentos mais inseguros, e com medo buscam conservar o valor de seu dinheiro passando-o para ouro, que é o ativo mais seguro do mundo em questões de estabilidade de preço.

 

Vejamos então o gráfico:

 

         Nos últimos meses de 2018, o ouro subiu cerca de 9% em sua cotação. Essa informação em conjunto com a constante queda em todos os outros setores da economia, principalmente o mercado financeiro, nos mostra uma grande fuga de mercado, que tende apenas em aumentar.

 

VEJA O VIDEO DO ANARCO-CAPTALISTA RAFAEL LIMA COMENTANDO SOBRE A SITUAÇÃO DO MERCADO NOS ULTIMOS MESES DE 2018:

 

        Países afundados em dívidas, economia mundial desmoronando cada vez mais e ouro subindo, seria tudo isso apenas mais uma crise mundial ou o desfecho final do único caminho possível para o sistema financeiro judaico vigente? Algo interessante de se pensar é que sempre que o sistema financeiro está na iminência de romper, uma guerra é incitada e causada estrategicamente de forma reiniciar a economia mundial do zero, reconstruindo assim a engrenagem financeira. E por mais que as vezes esse assunto nos faça beirar as margens da esquizofrenia, todo esse cenário profético já está se formando, e com ele os rumores de guerras também se fazem presente, o que faz tudo se encaixar perfeitamente.

 

Deixarei a seguir alguns vídeos que não estão no último artigo que fiz que abordou esse tema, entretanto para saber mais sobre isso recomendo ao leitor que o leia.

 

Apocalipse 8

1 Quando o Cordeiro abriu o sétimo selo houve absoluto silêncio nos céus por aproximadamente meia hora.

2 Então, observei os sete anjos que se encontram em pé perante Deus, e lhes foram entregues sete trombetas.

3 Aproximou-se um outro anjo e se colocou em pé junto ao altar, portando um incensário de ouro. A ele foi entregue grande quantidade de incenso para oferecer com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro diante do trono.

4 E da mão do anjo elevou-se na presença de Deus a fumaça do incenso juntamente com as orações dos santos.

5 Então, o anjo tomou o incensário, encheu-o com o fogo do altar e lançou-o sobre a terra; e aconteceram trovões, vozes, relâmpagos e um terremoto. A visão das sete trombetas

6 E aconteceu que os sete anjos que estavam com as sete trombetas prepararam-se para tocá-las. A primeira trombeta

7 O primeiro anjo tocou a sua trombeta, e ocorreu grande precipitação de granizo e fogo misturado com sangue, os quais foram lançados sobre a terra. E, assim, um terço de toda a terra foi queimado, e também um terço das árvores e toda a relva verde existente. A segunda trombeta

O segundo anjo tocou a sua trombeta, e algo como uma enorme montanha ardendo em chamas foi arremessada sobre o mar. Por esse motivo, um terço do mar transformou-se em sangue,

9 E morreu a terça parte das criaturas que vivem no mar, e um terço de todas as embarcações foram destruídas. A terceira trombeta

10 O terceiro anjo tocou a sua trombeta, e precipitou do céu uma grande estrela, ardendo em chamas como tocha, sobre um terço dos rios e das fontes de águas da terra.

11 E o nome dessa estrela é Absinto; portanto, um terço de toda a água potável da terra tornou-se amarga, e multidões morreram pela ação nefasta das águas que foram envenenadas. A quarta trombeta.

12 O quarto anjo tocou a sua trombeta e um terço do sol foi ferido, bem como a terça parte da lua e das estrelas, de maneira que um terço deles se escureceu completamente. Assim, um terço do dia ficou sem luz e também um terço da noite.

13 Enquanto eu admirava esses acontecimentos, ouvi uma águia que planava pelo meio do céu grasnindo em alta voz: “Ai! Ai! Ai dos que habitam sobre a terra, por causa dos toques das trombetas que estão prestes a ser entoados pelos três próximos anjos!”

 

Lucas 21

7 Então indagaram de Jesus: “Mestre! Quando acontecerá tudo isso? E que sinal haverá, quando tais eventos estiverem para se cumprir?”

8 Esclareceu-lhes Jesus proferindo: “Cuidai para que ninguém vos iluda. Pois muitas pessoas virão em meu nome, proclamando: ‘Ele sou eu!’ E ainda: ‘Chegou o final dos tempos!’ A estes não sigais!

9 Quando ouvirdes falar de guerras e revoluções, não vos apavoreis; pois é necessário que estes fatos venham primeiro, contudo o final dos tempos não ocorrerá em breve”.

10 E acrescentou Jesus: “Porquanto, nação se levantará contra nação, e reino contra reino;

11 e haverá em muitos lugares enormes terremotos, epidemias horríveis e devastadora falta de alimentos. Então sucederão eventos terríveis e surgirão poderosos fenômenos celestes.

12 Entretanto, antes que tudo isso aconteça, vos prenderão e perseguirão. E assim vos entregarão às sinagogas e aos cárceres, e sereis conduzidos à presença de reis e governadores, e tudo isso por causa do meu Nome.

13 Porém, isso vos será uma oportunidade para que deis testemunho.

14 Assentai, portanto, desde agora, em vosso coração que não deveis vos preocupar com o que haveis de declarar em vossa defesa.

15 Porque Eu colocarei as devidas palavras em vossa boca e vos concederei sabedoria, a que não conseguirão resistir ou contradizer todos os que vierem a se opor a vós.

16 Mas sereis traídos até por pais, irmãos, parentes e amigos, e matarão alguns de vós.

17 E por todos sereis odiados por causa do meu Nome.

18 Contudo, não se perderá um único fio de cabelo da vossa cabeça.

19 É na vossa perseverança que confirmais a salvação da vossa alma. A destruição de Jerusalém

20 Quando virdes exércitos fechando o cerco ao redor de toda Jerusalém, sabei que é chegada a hora da sua absoluta destruição.

21 Então, os que estiverem na Judéia, refugiem-se nos montes, mas os que estiverem na cidade saiam imediatamente, e os que estiverem nos campos não venham para ela.

22 Porquanto, estes serão os dias da vingança, a fim de que se cumpra tudo o que está escrito.

23 Ai das que carregam no ventre seus filhos e daquelas que amamentam naqueles dias! Porque haverá grande aflição na terra e ira contra este povo.

24 Eles sucumbirão ao fio da espada, e muitos serão levados como prisioneiros para todas as nações. Jerusalém será pisoteada pelos gentios, até que passe o tempo de poderem agir assim. O glorioso retorno de Jesus

25 E haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações ficarão desesperadas, com medo do terrível estrondo do mar e das ondas.

26 Muitas pessoas desmaiarão de terror, preocupadas com o que estará sobrevindo às populações do mundo, pois os poderes do espaço sideral serão abalados.

27 Então, se observará o Filho do homem vindo numa nuvem, com poder e portentosa glória.

28 Sendo assim, quando esses fatos começarem a surgir, exultai e levantai as vossas cabeças, pois está muito perto a vossa redenção!”

 

“Quando ouvirdes falar de guerras e revoluções, não vos apavoreis; pois é necessário que estes fatos venham primeiro, contudo o final dos tempos não ocorrerá em breve. Porquanto, nação se levantará contra nação, e reino contra reino”   Lucas 21 

TERCEIRA GUERRA MUNDIAL

 

“e haverá em muitos lugares enormes terremotos, epidemias horríveis e devastadora falta de alimentos. Então sucederão eventos terríveis e surgirão poderosos fenômenos celestes” Lucas 21

SINAIS DO FIM DOS TEMPOS EM 2018

 

“Entretanto, antes que tudo isso aconteça, vos prenderão e perseguirão. E assim vos entregarão às sinagogas e aos cárceres, e sereis conduzidos à presença de reis e governadores, e tudo isso por causa do meu Nome.” Lucas 21

 

“Quando virdes exércitos fechando o cerco ao redor de toda Jerusalém, sabei que é chegada a hora da sua absoluta destruição.” Lucas 21

 

“E haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações ficarão desesperadas, com medo do terrível estrondo do mar e das ondas” Lucas 21

 

Então, se observará o Filho do homem vindo numa nuvem, com poder e portentosa glória. Sendo assim, quando esses fatos começarem a surgir, exultai e levantai as vossas cabeças, pois está muito perto a vossa redenção!” Lucas 21

 

 

Onde entra o Brasil em tudo isso?

 

                                                    MAIS:

 

DOCUMENTARIO: PROSPERAR, O QUE SERÁ NECESSARIO

 

 

 

 

Que toda glória seja dada ao Pai, Filho e Espírito santo. Amém.

  LUZ P’RA NÓS

 

Compartilhe a Verdade:


16
Deixe um comentário

Please Login to comment
7 Comment threads
9 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
Rafael Isaac FranchiniLeandro de Oliveira JerônimoDouglas CeronAdmin bar avatarVictor Hugo B. de Melo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Marcio Alves Otero Barco Jr
Membro

Quando abaixar a maré só quem é fica de pé!

Jucemar Mello
Membro
Jucemar Mello

Gratidão irmão mestre Victor, material rico em informações! Você sempre nos surpreende com seus posts!

Admin bar avatar
Membro
Richard Maquiavel

Mais completo que isso impossivel, matéria magnifica.

Douglas Ceron
Editor

Que post esplendoroso! Me dói estar bloqueado no facebook pra não poder ter a honra de clicar no compartilhar!!
Gratidão imensa pelo trabalho meticuloso e simétrico em produzir um post que certamente é eterna referência às almas que buscam um alicerce para entrar no caminho da verdade!
Muito obrigado! Luz pra nós! Heil!

Leandro Quantum Oliveira.
Admin

Você capricha mano. Foda. Ainda não terminei toda a matéria.
Luz p’ra nós!

Rafael Isaac Franchini
Membro
Rafael Isaac Franchini

Gratidão mestre ! Mais uma vez um post muito rico em informações , não li tudo ainda mas voltarei aqui frequentemente, e que as pessoas possam ter acesso a essas informações , bora compartilhar

trackback

[…] Não é de hoje que nós da Escola de Lúcifer estamos alertando para uma iminente Crise Mundial que começará pelo Dólar e afetará o mundo todo com a quebra da Moeda Líder do mercado mundial, criada e sustentada pelo FEDERAL RESERVE, banco privado pertencente a Dinastias Judaicas como a dos Rockfeller;  Morgan e outros. A algum tempo atrás escrevi um artigo completo mostrando os fatores econômicos que indicavam que o Crash do Dólar  estava muito próximo, caso não conferiu, pode conferir clicando aqui. […]