Emoções, Cores e Formas geométricas estão conectadas

Compartilhe a Verdade:


As emoções e cores estão conectadas e correspondem
a estes mesmos desenhos e momentos iniciais:

A mesma luz cria partículas em movimentos padronizados que formam tudo. O que varia são seus tamanhos pelas velocidades relativas, alterando assim nossa interpretação.
Veja abaixo: Dos Raios Gama, passando pela luz visível até o rádio. No campo visível ultra Violeta plasma o Prata somando todas com o Infra Vermelho na base.

Remover imagem destacada

O violeta vibra mais rápido que o azul, podendo acumular tanta energia com ondas tão menores, que chegam ao ultravioleta “saindo de nossa realidade” e reagindo com as micro partículas. Soma todas as frequências e plasma luz Prata. Assim altera tudo o que toca. Coloca tudo em seu ritmo. Ou seja, o violeta ao extremo transforma, quebra padrões, acelera tudo, compacta o Conhecimento, liberta, une todos os
ângulos(cores) e faz a Luz. Tendo a força do Azul, e apoio do abstrato, abraça as ondas lentas, maiores, furiosas, ou seja, vermelho, sangue, terra, reinício.
As frequências mais velozes, ou energéticas que o violeta são apenas resultados de “caos”, sendo o Raio-X vindo dos movimentos dos elétrons e os Raio-Gama vindos da destruição subatômica.
São perspectivas da queimação de Alpha no nada.
O violeta vem do azul, que é estável e forte, contínuo, ondas curtas, rápidas, sempre constante, nunca indo muito longe dele mesmo. Domínio pleno, povo leal às leis de seu Deus.
No entanto, o violeta foge do azul e acelera tanto até renascer no inicio que é o vermelho, resultado de sua “destruição”, ondas longas, mergulhando na escuridão, afastando-se de si mesmo para cima e para baixo, caos. O violeta soma esse extremo padrão lógico de repetição azul e o extremo padrão abstrato de caos vermelho. Por isso vermelho + azul = violeta.
Lucifer vibra nessa cor, como terceiro na tríade, onde Jeová na lógica é o azul. – Já o abstrato, fêmea, sem lógica, é o “indefinido” refletindo vermelho mergulhando na escuridão, o filho é o violeta, que soma e posiciona ambas as perspectivas num reinício livre e balanceado, mas temporário, curto.
O vermelho com suas ondas longas queima na escuridão abstrata, o azul o posiciona através da lógica, acelerado, guia o verde, amarelo e laranja, enquanto nas suas costas o violeta abraça o vermelho do lado oposto do espectro; depois se desfaz, volta ao vermelho, laranja, amarelo e etc… conforme a liberdade se perde para o “padrão”, os reinos Luciferianos vão sendo mais e mais puxados para o azul, que dominará, e o ciclo se repete, dando às novas consciências o ensinamento necessário para replantar sua própria existência um dia.

“Como a noite traz o dia, a guerra apresenta a paz.” – Assim a luz se mantém em todos os seus estágios, sendo, em sua
soma, a luminosidade branca que vemos. Prisma e a Luz:

Veja abaixo como as somas dos resultados voltam às cores iniciais, pois são os mesmos desenhos, mesmas frequências sendo interpretadas em perspectiva. “Você pode ver um quadrado ou um losango na mesma forma. Pode ainda ver dois triângulos ou apenas quatro retas. Todas as frequências estão lá, depende de quem vê, quais irá absorver, somar e quais irá dispensar em perspectiva.”

 

Formação de cores : Síntese Subtrativa X Síntese Aditiva Já foi visto que a cor de um objeto depende tanto da luz que o ilumina quanto de
propriedades específicas de sua superfície e textura. Assim, existe diferença entre luz colorida e matéria colorida. Logo, a cor pode ter duas classificações diferentes:
A cor-luz e a cor-pigmento. – Somando-se a luz colorida do arco-íris, obtém-se a luz branca (esse processo é chamado de síntese aditiva)
– Somando-se matérias corantes, teremos o preto (síntese subtrativa).
Síntese Aditiva -Na síntese aditiva somam entre si radiações de diversas longitudes de onda. Projetando-se em uma tela as três longitudes de ondas, vermelha, verde(ou amarela) e azul (ou violeta) – Veja que Azul e Violeta vivem disputando a perspectiva em qualquer sentido), teremos a luz branca no espaço onde houver a superposição dessas três cores, pois elas fazem as demais. Esse é o sistema usado
nos monitores e TVs. Também chamado de sistema RGB (red, green and blue).
Nas áreas da tela, onde se tem uma sobreposição parcial (dois dos três feixes), novas cores-luz se formam, podendo gerar todas as demais.
Síntese Subtrativa -Na síntese subtrativa, misturamos pigmentos coloridos transparentes que atuam como seletores ou filtros de luz. Esse é o processo utilizado nas artes gráficas. É também chamado de sistema CMYK (ciano, magenta, yellow and black). Cada tipo de pigmento tem seu próprio poder seletor, ou seja, absorve (subtrai) uma ou mais das radiações da luz branca. A cada sobreposição de um pigmento, diminui o número de radiações refletidas, até conseguir a ausência absoluta de toda radiação, isto é, o preto, neutro, fim da mistura subtrativa.
– As cores básicas da mescla subtrativa são o amarelo, o ciano e o magenta. Essa escolha se deve ao fato de que o pigmento de cada uma das três cores não é o resultado da combinação de outros. Pelo contrário, da mistura desses pigmentos, de  dois em dois ou de três em três, em porções oportunas, pode-se obter uma vastíssima gama de outras tonalidades. São o reflexo da síntese aditiva, assim, refletem a Luz. As pessoas e animais sempre possuem uma vibração geral puxada para alguma das cores primarias; (onde ciano vai para azul e magenta para violeta).
Embora o ambiente e situação mutável de cada dia as influencie, podemos classificaruma base girando em torno de:

Azul: Organizados, lógicos, fortes, céticos, calmos. Posicionam Vermelho com o Violeta.
Vermelho: Irritados, corajosos, bagunceiros, extremistas, impacientes, energéticos, gostam e sabem lidar com o Caos. Em nossa Ordem se estabilizam no Violeta.
Amarelo: Espiritualizados, amáveis, simpáticos, carentes, sabem ser falsos pois gostam de brilhar mais do que brilham, embora não percebam. Lidam com o Vermelho através do Laranja. (veja gráfico ao final do livro).
Laranja: Alegres, divertidos, confiáveis, energéticos, sabem ter coragem. Quando caem na fúria vermelha se perdem em surtos de raiva ou pânico.
Violeta: Rebeldes, orgulhosos, indecisos, pentelhos, temperamentais, criativos. Verde: Naturais, sensíveis, sinceros, resistentes, as vezes tediósos mas agradáveis.
São os mais longe do Vermelho.
Índigo: Correm do Azul para o Violeta e vice-versa.
Preto (abstenção das demais): Atitude, depressão(não contradiz a atitude. Se assim fosse, não haveria suicidas), reciclagem, abstenção e determinação.
Prata (soma das demais): Liderança, Poder, equilíbrio, criação.
-Obs: A relação com o Vermelho é mostrada pois trata-se da cor 1, onda menos acelerada, que mais “queima” na escuridão. Esse desespero gera o movimento inicial, que depois, diante da forma vira fúria (5). Toda essa energia de Alpha vem de Ômega – pulsos do Violeta que conecta o Vermelho ao Azul-topo mais acelerado.
(O Violeta é ainda mais acelerado mas torna-se invisível ao conectar-se ao mais lento Vermelho, fechando o giro das cores e plasmando a Luz Prata no “colo” do Ultra-Violeta.) – Veja que também por essa perspectiva Lucifer porta a Luz. (Violeta Filho entre os extremos Azul e Vermelho.)
Todas essas frequências em movimento perpétuo formam a LUZ, algo diante de nada, mas todas elas são também formadas da mesma LUZ. Criadora e criatura.
Alpha e Ômega. Nossas células nos fazem e nós as fazemos. O mar gera os rios e os rios geram o mar. Tudo é uma repetição do mesmo processo interpretado na lógica de maneiras distintas. Por isso os Momentos Iniciais expostos neste livro explicam tudo através dos mesmos 12 processos.
Nos 7 primeiros momentos é quando a Luz se organiza e se torna “dona” dela mesma.
1 faz 6 e 6 fazem 1 = 7, tal como a “estrela de Davi”. Daí pode criar.
Também é assim em nosso corpo, somos resultado desses 7 reinos, 7 Chakras, 7 cores da aura, 7 partes de nós. A Consciência livre, a Luz que se direciona. Tanto que a menor partícula “observável” – o átomo, traduz 7 camadas. Pois é o mesmo Momento Septa inicial, 7 perspectivas que podem recriar tudo o que existe. Por isso o átomo está em tudo, pois é o 7 em tradução material “mínima”.
(As sub-partículas não são vistas, mas medidas, repetindo o mesmo processo.)

Dentro dele encontraremos todas as cores, com ele fazemos todos os elementos da tabela periódica; e obviamente os elementos da natureza e os sons. Ele é o 7 autosuficiente, com núcleo, pesado, lógico, (próton e nêutron dão perspectiva linear), – macho, e também possuem o elétron, abstrato, está em todo lugar ao mesmo tempo, – sensação, movimento circular, feminino.
– Juntos são o átomo em 7 ângulos, ou camadas – Momento Septa. A Camada de valência é a última camada a receber elétron em um átomo a partir de sua distribuição eletrônica. Os átomos podem possuir até sete camadas de distribuição eletrônica, denominadas de K, L, M, N, O, P e Q. Alguém se atreveria a dizer que tudo isso é coincidência? Somos nós, nos mantendo vivos em cada elétron que vemos saltar, cada nota que ouvimos soar, cada cor que canalizamos ao olhar. É o mesmo momento. – Septa. De Alpha a beta e assim por diante, até que no Dota saiba exatamente como harmonizar a totalidade de seu reino “externo” e passe da ação do Septa para causa do Apha, reiniciando o Todo que criou ele mesmo.
Obs: Após dominar 7 irá dominar as 5 “consequências” intermediárias, “bemóis”, “cores terciárias”, “reino externo”, – fundamentais para a perspectiva geral; totalizando 12 no 13.

Turquesa = ciano. As vezes vemos índigo no lugar do azul e azul como ciano. São variações próximas. Assim como magenta e violeta, conforme já explicamos.
Nossos sentimentos são claramente alterados pelas palavras, cores e sons ao nosso redor. Assim também acontece para nossos Chakras, Aura, negócios e qualquer outro aspecto da vida.
Estes 7 níveis frequenciais são o próprio momento Septa. Onde a Luz se posiciona em todos os ângulos necessários para formar uma perspectiva autônoma e criadora.
Para manter a ela mesma. – É a Consciência quando se equilibra e pode criar.

Com as 7 cores se faz todas as outras.
Com as 7 notas se faz todas as outras.
Com 6 ângulos e 1 centro do Hexagrama, se pode criar todas as demais formas como já vimos.
“Deus fez o mundo em 7 dias.” 7 virtudes e pecados.
O 7 representa a perspectiva criadora. Não importa o canto da “Estrela de Davi” que você olhe, o 7 estará sempre no meio.
Não importa qual das 7 notas você toque primeiro, ela será a tônica, e o resto entrará na escala. – Criação de perspectiva.
À luz – Luz demais cega tanto quanto nenhuma.
À escuridão – Quanto maior a escuridão, mais brilhará a menor dasluzes.
Ao amarelo – Amas tanto a luz que te confundes a ela.
Ao laranja – Preferes ser um amarelo forte do que um vermelho fraco.
Ao vermelho – Ter raiva da raiva não te inocentas.
Ao verde – O pouco que queres custa muito.
Ao azul – Tua paciência te faz forte, e tua força te faz paciente.
Ao violeta – Entre o azul e vermelho, tens tantos aliados quanto inimigos.
No entanto, quem vê um lado vai além, quem vê além se contém, mas quem vê ambos se entretém.

A partir do 7, a Consciência tem um “mapa” dela mesma.
Entende momento após momento e pode ir ao 8, ou a glória.
Deverá conhecer o 9, dominá-lo como 10 e posicioná-lo com o 11, sendo assim Rei no 12. Um tabuleiro completo na mesa 13.
Disso provém tudo:

Abaixo vemos como a base mínima que enxergamos da vida – Os cromossomos e o DNA, são partes do mesmo Desenho Sagrado apresentado. O caminho da Luz e suas perspectivas, – que a lógica traduz como o caminho ‘celular’ em nosso corpo.

– Padrões de onda (vibração) na matéria. Ressoam como tons, cores, formas e sensações. Acompanham o “mapa” do Todo, nos caminhos da Geometria Sagrada.
É essa a simetria necessária para a Luz definir-se no escuro. Cada ângulo de seu corpo é um Tom, uma Cor. Ao lado, vemos a energia percorrer as linhas em montagens diversas, nunca fugindo da simetria básica da Perspectiva Sagrada.
É essa a n

atureza, do átomo à flor.

A Luz se divide nas etapas da geometria como vimos, sendo esse seu padrão Macro e Micro, se darão perspectiva de movimento e consequentemente, de tempo. Eis porque nosso relógio  marca 12, semana 7, mês 30, ano 12. – Acompanhamos o Macro dos astros e o Micro de nosso
processo vital.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A+B=C. C+B=D, etc… Progressão na escala natural Fibonacci. Padrão de evolução livre, Pentagrama-Intuição. O Hexa(lógico) limita esse processo e divide-copia retas iguais.

Essa sequencia hoje chamada Fibonacci, sempre repete ela mesma partindo dos desdobramentos simétricos e inevitáveis que mostramos.
Também possui seu aspecto feminino(curvo) e masculino(reto), pois esta é a fusão geral da Criação:

A + B está para A exatamente como A está para B. – A pode ser maior que B, mas com B, ele é vítima da mesma circunstância. Se a Consciência se vê no nada, ela é como luz em relação à escuridão. Com ajuda do vazio, a Consciência gera perspectiva copiando e dividindo a si mesma.
O corpo curvo gerado pelo abstrato em paralelo é fêmea, circular, sensação, que caminha com o macho linear – lógica.
A Consciência é luz que se move, assim faz o traço. Entre o centro de Alpha e de Beta gera-se o raio, que se vê e se dobra para ampliar-se,
depois soma seu tamanho anterior ao atual, infinitamente, sem perder a autonomia de proporção. Isso gera um padrão, uma sequencia, – a
Fibonacci. Os intervalos entre essas dobras são marcados pelo abstrato.
Pela “não luz”, pela sensação do “nada” em perspectiva. Assim a luz vê infinitos tamanhos, baseada na mesma única proporção que
é sempre entre seu tamanho atual e o anterior, e então segue adiante.
Vê ao mesmo tempo o maior e o menor. Com este padrão a luz pode ir ao infinito baseando-se apenas em si mesma. (- Celta 3 expande até
12, renasce em 13 e assim por diante). Esse padrão Fibonacci pode ser visto em tudo na natureza pois segue o raio dado pelo Penta- e Hexagramas, dois momentos pré criadores. (Intuição 5 e Lógica 6 que plasmam no Septa 7 – criador.) – (Veja figuras A1 e A2.)
Cada Quina já sente como expandir com o fogo(4×1) – fúria, fogo lógico (posicionado), pode se auto-refletir no nada(intuição), assim expande.

Quina em si mesmo dá base para seu próximo reflexo, sem perder seu caminho, dentro e fora, mantém-se crescendo apenas por refletir a si
mesmo.
O Hexa administra essa explosão energética em estabilidade polarizada.
O Septa 7 compreende a Criação pela energia explosiva intuitiva 5 e pela lógica organizada 6. Assim aConsciência é plena em 7.

Tudo o que existe carrega esse padrão. Não como mágica da criação apenas, mas sim porque esta é nossa interpretação,
nossa consciência. Os momentos iniciais inevitáveis de qualquer expressão cósmica, de qualquer luz no vazio. Não está em tudo externamente, está antes, em nós mesmos, somos nós, a própria Consciência camuflada em nossa tradução usual de vida. Damos nomes, memorizamos cenas e nos esquecemos que estamos presos neste processo inevitável como já vimos. Esta é a maneira como captamos e traduzimos o mundo. Por isso as mesmas formas, cores e bases estão em tudo. Mesmas frequências. Porque o “tudo” somos nós.
É aquilo que traduzimos e que não foge do “tradutor” composto pelos 7 (12) momentos inevitáveis que a luz precisa percorrer
para não se perder no nada. A Coerência Criativa.
A simetria e auto-conexão mantém seu padrão inabalável nestes 12 momentos formados pelos 7 primeiros que vemos como cores, ouvimos como som, tocamos como formas, sentimos como temperaturas e emoções. Inalamos como cheiro e degustamos com o paladar. 1-Arde, 2-Doce, 3-Salgado, 4-Azedo, 5-Amargo, 6-Neutro, 7-Determina.

Notem como esse processo de repetição sem se perder, em simetria, cria a Geometria Sagrada infinitamente, tanto no Pentagrama
Luciferiano quanto no Hexagrama Jeovástico que dão base para todo o resto.
Veja que a lógica Jeovástica posiciona a sabedoria 6 e centraliza- se fixamente no 7, o abstrato Luciferiano se sustenta no 5,
supõe o 6 por natural conclusão no espaço que sobra em perspectiva (como vemos no desenho sagrado). Ou seja, sua sabedoria
se mistura com a intuição, talento, dom.
Eis a mágica, eis a perspectiva exata, com método diferente.
No hexagrama, o 7 central impõe 6, ou seja, repassa a perspectiva, impõe sua criação (Estudo metódico, memorização, padronização e tradição). – É a lógica Jeovástica. Corta a liberdade que o 5 dá com o 6 abstrato no ângulo que ‘falta’. (intuição).
Penta e Hexa são as bases criativas de Septa. Dom-Estudo (Intuição- Lógica). Com estes dois lados Septa domina o Reinado 12 e expansão.

O Pentagrama Luciferiano é a sensação. Ele deixa a sabedoria lógica 6 ser definida no abstrato, permitindo que sua consciência 7 seja o que é naturalmente, um resultado disso, apenas por reflexo da harmonia perfeita de tudo. Quando o 6 ocupa abstratamente o seu espaço natural o 7 estará também abstrato ao meio. Assim um artista acha o tom sem jamais ter estudado, um pintor usa técnicas que nunca aprendeu e etc… Tanto o Penta quanto o Hexagrama alcançam o 7 e com ele dominam os posteriores. São símbolos poderosos, partes domesmo Desenho Sagrado. Como Lucifer e Jeová. No hexagrama com o 7 ao meio, ele poderá posicionar por padrão o 8, 9.
10 e 11 ao redor. tornando-se o 12. Vejam na Geometria. Na vida, o judeu posiciona o lucro, a destruição, a organização e o sacrifício seguindo isso, deixando o 12 no topo, na soma de todos, o seu Deus conectado com o patriarca da casa e Reino -povo. O Hexa é o símbolo deles por isso, a lógica, o padrão.
Após essa base central, o resto é repetição. No Pentagrama, com o 6 em suposição óbvia na perspectiva do 7 no abstrato, qualquer lógica pode ser superada, com a arte, a magia, apenas com a conexão da Alma com o todo. É isso o que incomoda o hexa, a lógica, Jeová e os judeus. É isso na verdade, o que também incomoda os homens. – O abstrato é feminino.
Ambos os símbolos no entanto, são parte de Um, como vimos.
Partes do mesmo 7, atuando de maneiras diferentes para ser a Consciência que vê dois lados.

Como o reflexo, como a Alma Gêmea. – Reflexos são iguais, porém se encaram, ou seja, estão em perspectivas opostas.
Como num espelho, sua orelha direita estará sempre do lado esquerdo do espelho. Fato este, que inclusive lhe ilude, mostrando sempre uma imagem ao contrário do que as pessoas de fato enxergam.
Repare que todos encaram seu olho esquerdo diante do direito delas e vice-versa. No entanto, no espelho, ao encarar seu reflexo você verá seu olho direito encarando o direto mesmo, o que indica que sua imagem está ao contrário do que de fato os outros enxergarão. O “você” que está memorizado em sua mente através do espelho não é bem como lhe enxergam.
Você pode utilizar um segundo espelho para desinverter a imagem. Irá se espantar com a diferença e entenderá porque sai tão diferente em fotos! Você possivelmente irá querer mudar o lado do penteado.

O reflexo é como nossas mãos, idênticas mas opostas. A imagem do reflexo  não é a mesma que vemos fora do espelho. Note que a pessoa se
arruma diante de uma imagem que ninguém verá, além dela mesma.


 

 

Páginas 371 à 387. 

Livro Lucifer

Baixe

 

 

Compartilhe a Verdade:


12
Deixe um comentário

Please Login to comment

Entre com:




12 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
11 Comment authors
João PedroJuha BachRafael Isaac FranchiniAline Borges Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Fabi Aurelio
Membro
Fabi Aurelio

sensacional !! gratidão eterna !!! luz pra nos

Igor santos
Membro

✨Incrivel✨

Igor santos
Membro

Perfeito✨

Vinícius Andrade
Membro
Vinícius Andrade

Incrível. Luz p’ra nós!

Leandro Quantum Oliveira.

Lux Heil

Sayler Céfas 666
Membro

Entender a perfeição da vida é o maior alivio de todos!

Eternamente grato!

Jonathan Muniz
Jonathan Muniz

Muito bom luz p’ra nós!

(Alleyn)
Membro

Assimilando muitos pontos que estavam soltos. Gratidão.

Rafael Isaac Franchini
Membro
Rafael Isaac Franchini

Conhecimento não é mais pecado!

Gabriel Morcillo
Membro
Gabriel Morcillo

A forma como tudo se conecta na existência é incrível.
Complexo… Vou ler com calma depois.

Membro

Perfeito. Quanto mais tenho contato com esse conhecimento mais reconheço a grandeza da vida.

João Pedro
Membro

A simetria que une tudo é digna de contemplação, por isso é tão importante observarmos tudo e agradecermos a Deus por cada fragmento dessa criação perfeita.