e-book plantas medicinais
Foto: CC0 Dominio publico

Em Florianópolis, capital de Santa Catarina, a importância terapêutica das plantas medicinais é tão grande que a prefeitura lançou uma cartilha dedicada ao tema. Intitulado “Guia de Plantas Medicinais de Florianópolis”, o documento apresenta 39 plantas amplamente cultivadas e utilizadas pelos profissionais de saúde e pela população da cidade.

O guia traz os nomes científicos das espécies, seus usos populares, características botânicas, experiências de usos clínicos, modos de usar e cuidados no uso de cada espécie. Além de auxiliar em tratamentos naturais, o uso de plantas medicinais pode fortalecer a saúde e ajudar a evitar doenças.

Cuidar da saúde de maneira natural é um grande aprendizado e mais da metade das unidades de saúde do município possuem hortas medicinais. O objetivo é a distribuição gratuita de plantas fitoterápicas e temperos aos pacientes e à população em geral. Além disso, as hortas medicinais integram o programa Práticas Integrativas e Complementares da Secretaria de Saúde de Floripa.

Os fitoterápicos e plantas medicinais são parte da cultura e do conhecimento tradicional e popular. Como ferramentas terapêuticas, tais usos já são incorporados nas políticas públicas nacionais de saúde, sendo até disponibilizados gratuitamente pelo SUS.

Confira 3 espécies que constam na cartilha:

Calêndula

Calendula officinalis L. Asteraceae

Foto: José María Escolano | Flickr

A calêndula é usada na medicina popular como cicatrizante para ferimentos, queimaduras, furúnculos, abscessos e irritações, para sintomas de acnes (espinhas), conjuntivites, otites crônicas e periodontais. Utilizada no tratamento de infecções do aparelho genital feminino e no sapinho infantil (candidíase oral).

Uso externo: Infusão preparada com 1 colher de sobremesa das flores secas ou até 2 flores frescas rasuradas para 1 xícara (200 ml) de água fervente, após abafar por 15 minutos, usar o chá externamente com o auxílio de um pano limpo ou algodão diretamente nos locais das lesões.

Importante: Não se utilizam as folhas e sim as flores.

Erva-cidreira, melissa

Melissa officinalis L. Lamiaceae

A infusão das folhas e ramos da planta são usadas como calmante, sedativo e para aliviar sintomas de dores de cabeça, dores de dente, pressão alta, reumatismo, estados gripais, palpitações, distúrbios gastrointestinais e menstruais. Também é utilizada para uso tópico para diminuir rachaduras das mamas e em picadas de insetos. A melissa é usada ainda na culinária como tempero ou como aromatizante de doces e licores. A planta é usada também em perfumaria e na produção de fitoterápicos utilizados pela população.

Foto: CC0 Dominio publico

Uso interno: Infusão preparada com 1 colher de sobremesa das folhas secas ou até 6 folhas frescas rasuradas para 1 xícara (200 ml) de água fervente, após abafar e esfriar por 15 minutos, ingerir até 3 vezes ao dia por no máximo duas semanas.

Uso externo: Utilizar a infusão para uso tópico local diretamente em lesões decorrentes de herpes labial.

Tintura: Utilizar 20 gramas das folhas rasuradas para 100 ml de álcool etílico 45% a 53% e armazenar em vidro escuro protegido da umidade e da luz. Tomar 2 a 6 ml da tintura, diluídos em 50 ml de água, três vezes ao dia. A indicação dessa tintura é como auxiliar no tratamento sintomático da ansiedade leve e insônia leve, bem como para o alívio de sintomas gastrintestinais leves, incluindo distensão abdominal e flatulência.

Partes usadas: Folhas e ramos

Alfavaca-anisada, alfavaca-preta

Ocimum selloi Benth., Lamiaceae

Foto: Flora Digital | João Augusto Bagatini

A indicação desta espécie é para os seguintes sintomas: gripes, tosses, afecções respiratórias, cólicas intestinais e dismenorréias.

Uso interno: Infusão preparada com 1 colher de sobremesa das folhas secas ou até 6 folhas frescas rasuradas para 1 xícara (200 ml) de água fervente, após abafar por 15 minutos, ingerir até 3 vezes ao dia por no máximo duas semanas.

Para aliviar sintomas da TPM: infusão com 1 xícara de água fervente com 5 folhas de Ocimum selloi + 10cm de uma folha de Achillea millefolium + 5 folhas frescas de Melissa officinalis.

Partes usadas: Folhas

Importante: Ter cautela no uso deste composto concomitantemente a ansiolíticos e medicamentos para tireoide.

Acesse o “Guia de Plantas Medicinais de Florianópolis”.

 

 

Fonte: Ciclo Vivo

 

Ainda não é Aluno? Cadastre-se aqui, e faça parte dessa Revolução.

Já é Aluno, mas ainda não se tornou Membro? Vire membro aqui, e contribua com essa Verdade. Mensalidade convertida em Téritos e conteúdo exclusivo.

Faça parte do Congresso Online e lute pelo Brasil!

Luz p’ra nós!

Portais:

www.escoldadelucifer.com.br
www.unebrasil.com.br
www.unebrasil.org
www.querovencer.unebrasil.com.br
www.congressoonline.org
www.unebrasil.wixsite.com/livrolucifer
www.unebrasil.net