Duplo sentido: um dicionário cabalista

Compartilhe a Verdade:


“Linguagem política é somente designada para criar mentiras que soam verdadeiras e assassinatos como respeitáveis”  

O mal-estar humano é devido ao fato que os banqueiros sionistas judeus desejam depor Deus.

“Na prática, isso significa que a realidade deve ser revolucionada”  

Eles, e não Deus (Realidade), definem “Verdade”.  Eles definem-na em termos de suas perversões e megalomania.  Como Otto Kahn admite abaixo, eles estão usando o povo Judeu como instrumento para impor uma servidão permanente à espécie humana.

Devemos purificar a idéia [de Deus], identificando-o com a nação de Israel, que se torna seu próprio Messias.  O advento dele será facilitado pelo triunfo final de Israel… ” (Otto Kahn).  Em outras palavras, a liderança Judaica, os banqueiros sionistas, são Deus, e Judeus (e Franco-maçons) seus instrumentos e também corruptos.

Um sistema que revoluciona a realidade simétrica divina é maligno em todos os aspectos.  Mentiras são aceitas como verdade; mal é bom; doença é saúde; feio é belo e anti-natural é natural.  Judaísmo cabalista é um culto de ódio contra gentios que defende todas essas coisas.  Judiaria organizada e franco-maçonaria são seus instrumentos articulados pelos sionistas.

Como a humanidade é induzida à irrealidade, a própria linguagem inevitavelmente é invertida e se torna uma parte dessa opressão.

Abaixo, eu darei alguns exemplos do dicionário cabalista deturpado:

  1. Um “Terrorista” é qualquer um que não tenha uma força aérea.  Terroristas que são treinados e financiados pelos cabalistas não são terroristas, mas “insurgentes”.  Palestinos que atiram foguetes e matam 1 a 2 israelenses são “terroristas”.  Eles têm “túneis do terror” embora nenhum ataque de terror tenha emanado deles.  Israelenses, que em 2014 usaram aviões, mísseis e bombas para matarem mais de 2.000 civis, incluindo 500 crianças e demolem edifícios não são “terroristas”. Eles estão “se defendendo”.

Quando a Al Queda supostamente atacou o World Trade Center, eles são “terroristas”.  Quando eles derrubaram a Síria de Assad, eles são “insurgentes”.

  1. “Ódio” e “discurso de ódio” é qualquer resistência ao plano de ódio em combustão de desumanizar e escravizar a espécie humana.  O Talmud que trata não-Judeus como animais destinados a servirem os Judeus é o ódio verdadeiro, mas nunca reconhecido como tal.  Ao invés disso, eles invertem a realidade e simulam que resistir a sua agenda Talmúdica seja is “ódio”.
  1. “Anti-Semitismo” é supostamente um preconceito racial.  Porém, banqueiros Judeus admitem usar os Judeus para substituir Deus, abolir todas as demais raças, nações e religiões, e estabelecerem uma distribuição caotica na terra.  Usar Judeus em seu modo é o verdadeiro “anti-semitismo”.  A palavra-talismã cabalista “anti-semitismo” é na realidade resistência a esse ataque sobre Deus e o homem.
  1. “Homofobia” é na realidade resistência ao ataque Judaico-cabalista sobre identidade sexual à guisa de “direitos gays”.  O ódio real é heterofobia, o ataque sobre instituições heterossexuais como casamento e família.  Há quatro milhões de links para “homofobia” no Google, 25 vezes mais do que para “heterofobia” (160.000.)  Heterofobia é raramente reconhecida como uma palavra, um exemplo de como a linguagem é manipulada para transformar a sociedade.
  1. “Racismo”  supostamente é a hostilidade para com outras raças.  Em verdade, quando eles não alegam ser superior, os assim-chamados “racistas” são os melhores amigos de outras raças, porque gostam de outras raças e não querem que elas desapareçam.  Eles celebram diferenças e reconhecem que a humanidade é uma família. Obviamente, ninguém deveria ser esperado fortificar sua herança racial e cultural para satisfazer a doentia agenda Sionista.  “Anti-racistas” favorecem miscigenação de forma que todas as raças menos os Judeus Israelenses desapareçam.
  1. “Sexismo” é supostamente a hostilidade às mulheres.  Na realidade, sexismo é heterossexualidade.  Por reconhecerem as diferenças entre os sexos, sexistas são os melhores amigos da mulheres.   Similarmente, “feminismo” simula lutar pelas mulheres, enquanto negam sua feminilidade, encorajando o lesbianismo e privando-as de seu papel social especial de mãe e esposa.  Rejeitar o “sexismo” é odiar as mulheres, negar suas diferenças sexuais inerentes e defender as mulheres a comportarem-se feito homens.
  1. “Diversidade” alega celebrar todas as diferenças étnicas e sexuais.  Na realidade, é voltado a conter a genuína diversidade, erradicando a influência da cultura (heterossexual) cristã.
  1. “Isolacionista” é alguém que se opõe em usar os recursos de seu país e jovens para promover a agenda imperialista insana dos banqueiros.  “Lutar pela liberdade” é na realidade lutar pela escravidão (despendendo os recursos nacionais travando guerras forjadas para enriquecer banqueiros e matar goyim).
  1. “Direitos humanos” são privilégios conferidos a pessoas que podem ser usados para privar outras pessoas de seus direitos humanos.  “Direitos gays”, por exemplo, são usados para minar a identidade heterossexual e da família de 98% da população, convencendo-os que doença é saúde e anti-natural é natural.
  1. Ato “Patriótico”. O nome usa a operação de bandeira falsa cabalista do 11 de setembro para destruir direitos humanos e justificar guerra e vigilância constante.  É o “Ato de Traição”. Verdadeiramente, entramos numa orwelliana era de duplo sentido.

Cabalistas são, na realidade, criadores.  Eles criam realidade através de seu domínio no sistema educacional e nos mass media.  Naturalemente, eles se utilizam da linguagem para inverter a realidade e difamar seus oponentes.  Em suas mãos, a linguagem é nossa inimiga.

Vamos aproveitar essas palavras-talismãs e dizermos: sou orgulhoso de ser um “anti-semita, homofóbico, sexista e racista” porque isso significa que estou resistindo à tirania e defendendo minha identidade.  Eu quero diversidade real, direitos humanos justos e patriotismo, não duplafala”.

O único “ódio” e “terror” reais originam-se dos cabalistas judeus que odeiam tanto o homem quanto Deus.

Eu saúdo suas sugestões para o dicionário cabalista.

Compartilhe a Verdade:


11
Deixe um comentário

Please Login to comment

Entre com:




11 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
10 Comment authors
Ariel dos SantosPedro SaintsJoão PedroAdmin bar avatarJ. O. Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Membro

Magnífica matéria, mestre! “Vivemos em um mundo invertido”- essa frase não é só citação de um slogan de uma série da Netflix – essa frase é real! A linguagem desempenha um importante papel em nossas vidas e estarmos atentos às manipulações feitas por esses donos do sistema é de extrema importância. Gratidão
Luz pra nós

Josimar Lima
Membro

É muita magia né irmão … So a misericórdia de Deus mesmo.

Jack waste
Membro
Jack waste

judeus falsos

Freit EDL
Membro

A mídia usa disso de uma forma magnifica! dentro da caixinha você nem percebe, só concorda.

O que mata é o que sai da boca do homem, bem explicado essa matéria, como essas palavras tem poder!

Deborah Hgg
Membro
Deborah Hgg

Excelente conteúdo irmão!!! Chega de rotulações idiotas para separar as pessoas do amor e da honra!

Deborah Hgg
Membro
Deborah Hgg

Outra palavra que esses caras gostam de imputar a nós “xenofobia”. Afinal, eles ficam se adentrando nos mais diversos países para destruir, dominar e silenciar os povos e querem tratar os que vão contra como portadores de discursos de ódio.

Juan
Membro
Juan

Tratando o resto como gado

Admin bar avatar
Membro
Henrique Barboza Vaz

Muito boa, a matéria! Os truques do teatro judaico! Compartilhando…

João Pedro
Membro

Belo ponto de vista. Se podermos diferenciar o real significado da palavra e o significado do que eles querem que representem então podemos afirmar que somos terroristas. A final, somos o terror deles. Ra ra

Pedro Saints
Membro
Pedro Saints

eles inverte tudo para beneficio deles, deixam ate as palavras sem sentido algum

Ariel dos Santos
Membro
Ariel dos Santos

Quanto mais se mina a cultura e a linguagem de um povo, mais fácil de dominá-los. Pois é pelo verbo, pelas palavras que ideias são transmitidas, se você consegue atacar isso, fulano fala pra beltrano x e beltrano entende y, ai começa o caos. Excelente matéria, parabéns.