seg. set 16th, 2019

Cientistas desenvolvem bio-impressora que pode imprimir pele humana para curar feridas graves

Compartilhe a Verdade:


O novo dispositivo, a primeira impressora capaz de imprimir pele humana do mundo, pode produzir pele com as próprias células do paciente, ajudando na cicatrização de grandes feridas ou queimaduras. Isso ocorre porque o sistema de bio-impressão permite que pele com duas camadas seja impressa diretamente numa ferida.

“O aspecto único desta tecnologia é a mobilidade do sistema e a capacidade de criar pele para feridas extensas, tudo diretamente no corpo do paciente, digitalizando-as e medindo-as para depositar as células diretamente onde são necessárias para criar a pele”, disse Sean Murphy, professor assistente do Wake Forest Institute for Regenerative Medicine (WFIRM) que foi o principal autor do artigo publicado na revista Nature’s Scientific Reports sobre esta nova impressora.

Se bem sucedido, o dispositivo trará consigo enormes mudanças no que diz respeito à cura de grandes feridas. Atualmente, os enxertos de pele são uma das técnicas mais populares para o tratamento de grandes feridas, no entanto, apresentam muitas complicações.

“A tecnologia tem o potencial de eliminar a necessidade de enxertos de pele dolorosos que causam ainda mais desfiguração para pacientes que sofrem com grandes feridas ou queimaduras”, disse o diretor do WFIRM, Anthony Atala, co-autor do artigo.

Estudo publicado na revista Nature’s Scientific Reports.

Compartilhe a Verdade:


4
Deixe um comentário

Please Login to comment

Entre com:




4 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
João PedroWellington Pereira de OliveiraAdmin bar avatarArthur Luighe Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Admin bar avatar
Membro
Richard Maquiavel

E tudo se tornará facilmente modelado

Arthur Luighe
Membro
Arthur Luighe

Imprecionante 😝

Lin de Oliveira
Membro
Lin de Oliveira

Top !!!

João Pedro
Membro

Luz pra nos!