Epidemias ao longo dos séculos, segundo a história

10
Compartilhe a Verdade!

Compartilhe a Verdade:


Em clima meio apocalíptico, trouxe a maiores epidemias da humanidade, reportadas segundo a história. Sabemos que nem tudo são flores quando nos referimos a cura pelo sistema, e ainda mais o que realmente gerou e como foi contado, porém alguns fatos são inegavéis, como por exemplo a luta que a humanidade teve com as assombrosas epidemias, segue a lista:

PESTE NEGRA

50 milhões de mortos (Europa e Ásia) – 1333 a 1351

História: A peste bubônica ganhou o nome de peste negra por causa da pior epidemia que atingiu a Europa, no século 14. Ela foi sendo combatida à medida que se melhorou a higiene e o saneamento das cidades, diminuindo a população de ratos urbanos

Contaminação: Causada pela bactéria Yersinia pestis, comum em roedores como o rato. É transmitida para o homem pela pulga desses animais contaminados

Sintomas: Inflamação dos gânglios linfáticos, seguida de tremedeiras, dores localizadas, apatia, vertigem e febre alta

Tratamento: À base de antibióticos. Sem tratamento, mata em 60% dos casos

 

CÓLERA

Centenas de milhares de mortos – 1817 a 1824

História – Conhecida desde a Antiguidade, teve sua primeira epidemia global em 1817. Desde então, o vibrião colérico (Vibrio cholerae) sofreu diversas mutações, causando novos ciclos epidêmicos de tempos em tempos

Contaminação – Por meio de água ou alimentos contaminados

Sintomas – A bactéria se multiplica no intestino e elimina uma toxina que provoca diarréia intensa

Tratamento – À base de antibióticos. A vacina disponível é de baixa eficácia (50% de imunização)

 

 

TUBERCULOSE

1 bilhão de mortos – 1850 a 1950

História – Sinais da doença foram encontrados em esqueletos de 7 000 anos atrás. O combate foi acelerado em 1882, depois da identificação do bacilo de Koch, causador da tuberculose. Nas últimas décadas, ressurgiu com força nos países pobres, incluindo o Brasil, e como doença oportunista nos pacientes de Aids

Contaminação – Altamente contagiosa, transmite-se de pessoa para pessoa, através das vias respiratórias

Sintomas – Ataca principalmente os pulmões

Tratamento – À base de antibióticos, o paciente é curado em até seis meses

 

 

VARÍOLA

300 milhões de mortos – 1896 a 1980

História – A doença atormentou a humanidade por mais de 3 000 anos. Até figurões como o faraó egípcio Ramsés II, a rainha Maria II da Inglaterra e o rei Luís XV da França tiveram a temida “bixiga”. A vacina foi descoberta em 1796

Contaminação – O Orthopoxvírus variolae era transmitido de pessoa para pessoa, geralmente por meio das vias respiratórias

Sintomas – Febre, seguida de erupções na garganta, na boca e no rosto. Posteriormente, pústulas que podiam deixar cicatrizes no corpo

Tratamento – Erradicada do planeta desde 1980, após campanha de vacinação em massa

 

 

GRIPE ESPANHOLA

20 milhões de mortos – 1918 a 1919

História – O vírus Influenza é um dos maiores carrascos da humanidade. A mais grave epidemia foi batizada de gripe espanhola, embora tenha feito vítimas no mundo todo. No Brasil, matou o presidente Rodrigues Alves

Contaminação – Propaga-se pelo ar, por meio de gotículas de saliva e espirros

Sintomas – Fortes dores de cabeça e no corpo, calafrios e inchaço dos pulmões

Tratamento – O vírus está em permanente mutação, por isso o homem nunca está imune. As vacinas antigripais previnem a contaminação com formas já conhecidas do vírus

 

 

TIFO

3 milhões de mortos (Europa Oriental e Rússia) – 1918 a 1922

História – A doença é causada pelas bactérias do gênero Rickettsia. Como a miséria apresenta as condições ideais para a proliferação, o tifo está ligado a países do Terceiro Mundo, campos de refugiados e concentração, ou guerras

Contaminação – O tifo exantemático (ou epidêmico) aparece quando a pessoa coça a picada da pulga e mistura as fezes contaminadas do inseto na própria corrente sangüínea. O tifo murino (ou endêmico) é transmitido pela pulga do rato

Sintomas – Dor de cabeça e nas articulações, febre alta, delírios e erupções cutâneas hemorrágicas

Tratamento – À base de antibióticos

 

 

FEBRE AMARELA

30 000 mortos (Etiópia) – 1960 a 1962

História – O Flavivírus, que tem uma versão urbana e outra silvestre, já causou grandes epidemias na África e nas Américas

Contaminação – A vítima é picada pelo mosquito transmissor, que picou antes uma pessoa infectada com o vírus

Sintomas – Febre alta, mal-estar, cansaço, calafrios, náuseas, vômitos e diarréia. 85% dos pacientes recupera-se em três ou quatro dias. Os outros podem ter sintomas mais graves, que podem levá-los à morte

Tratamento – Existe vacina, que pode ser aplicada a partir dos 12 meses de idade e renovada a cada dez anos

 

SARAMPO

6 milhões de mortos por ano – Até 1963

História – Era uma das causas principais de mortalidade infantil até a descoberta da primeira vacina, em 1963. Com o passar dos anos, a vacina foi aperfeiçoada, e a doença foi erradicada em vários países

Contaminação – Altamente contagioso, o sarampo é causado pelo vírus Morbillivirus, propagado por meio das secreções mucosas (como a saliva, por exemplo) de indivíduos doentes

Sintomas – Pequenas erupções avermelhadas na pele, febre alta, dor de cabeça, mal-estar e inflamação das vias respiratórias

Tratamento – Existe vacina, aplicada aos nove meses de idade e reaplicada aos 15 meses

 

 

MALÁRIA

3 milhões de mortos por ano – Desde 1980

História – Em 1880, foi descoberto o protozoário Plasmodium, que causa a doença. A OMS considera a malária a pior doença tropical e parasitária da atualidade, perdendo em gravidade apenas para a Aids

Contaminação – Pelo sangue, quando a vítima é picada pelo mosquito Anopheles contaminado com o protozoário da malária

Sintomas – O protozoário destrói as células do fígado e os glóbulos vermelhos e, em alguns casos, as artérias que levam o sangue até o cérebro

Tratamento – Não existe uma vacina eficiente, apenas drogas para tratar e curar os sintomas

 

 

AIDS

22 milhões de mortos – Desde 1981

História – A doença foi identificada em 1981, nos Estados Unidos, e desde então foi considerada uma epidemia pela Organização Mundial de Saúde

Contaminação – O vírus HIV é transmitido através do sangue, do esperma, da secreção vaginal e do leite materno

Sintomas – Destrói o sistema imunológico, deixando o organismo frágil a doenças causadas por outros vírus, bactérias, parasitas e células cancerígenas

Tratamento – Não existe cura pela ciencia tradicional. Os soropositivos são tratados com coquetéis de drogas que inibem a multiplicação do vírus, mas não o eliminam do organismo

 

Enviado por Arthur Lu

Fontes: (OMS) e Fundação Oswaldo Cruz
epidemias-historia/

 

 

Portais
Não esquece de dar aquela força no merch!

escoladelucifer.com.br
unebrasil.org
unebrasil.com.br
unebrasil/livrolucifer

 

Luz pra nós!

Compartilhe a Verdade:



Compartilhe a Verdade!

Michelly

10
Deixe um comentário

Please Login to comment

Entre com:




5 Comment threads
5 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
6 Comment authors
MichellyLuiz CláudioAdmin bar avatarJonathan MunizJuan Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Aluisio Timm
Membro
Aluisio Timm

Luz p’ra nós!!!

Juan
Editor

top

Jonathan Muniz
Editor
Jonathan Muniz

Luz p’ra nós!

Admin bar avatar
Membro
Wellington Nascimento

Luz p’ra nós!

Luiz Cláudio
Membro
Luiz Cláudio

Luz p’ra nós

Next Post

No interior de SP, colecionador de frutas cultiva mais de mil espécies, muitas delas raríssimas

ter fev 4 , 2020
Compartilhe a Verdade!Compartilhe a Verdade:Tem gente que coleciona de tudo: latinhas de cerveja, selos, moedas, lego… Mas essa deve ser a primeira vez que você ouve falar sobre um colecionador de frutas. Ele existe, é paulista nascido em Piracicaba, e atende pelo nome de Helton Josué Teodoro Muniz. Helton coleciona […]

Siga-nos os bons

Ative o Sininho

Clique Aqui

Quem está online

Não há usuários online neste momento

Você:

Teus Téritos bônus

0 Téritos

Selo

300 Téritos

People who have earned this:

Pular para a barra de ferramentas